quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Siga o BLOG OMP no Twitter



@ONDEMORAOPERIGO

SAT-Deic: apoio aéreo para a maior Polícia Civil do país


11 de Setembro 2011 - Reflexões

30/08/2011 10h58 - Atualizado em 30/08/2011 10h58

Atentado contra Pentágono mudou forma de agir dos militares dos EUA

Terrorismo mudou foco de defesa para ataque, dizem especialistas.
Após crescer, força militar vai precisar lidar com orçamentos menores.

Da Associated Press
Os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 transformaram o Pentágono. Além de destruir parte do edifício que é ícone da força militar dos Estados Unidos, eles levaram o país a se envolver em duas guerras longas e caras, que reordenaram o funcionamento das próprias lutas militares dos EUA, segundo especialistas.
Após dez anos, a estrutura militar dos EUA cresceu, tornou-se intimamente ligada à CIA e mais respeitada pela população. Seus membros, no entanto, parecem cansados dos conflitos armados sucessivos e há registro de aumento no número de suicídios.
A parte do Pentágono que havia sido destruída pelo choque de um avião usado como míssil (que deixou 184 mortos) foi restaurada, mas a recuperação da tensão dos combates no Iraque e no Afeganistão deve demorar mais tempo - possivelmente décadas.
Os líderes do Pentágono terão que se ajustar a uma nova era de austeridade depois de uma década em que o orçamento de defesa dobrou, chegando a quase US$ 700 bilhões (cerca de R$ 1,1 trilhão) neste ano.
O Exército e os Fuzileiros Navais, forças mais engajadas no Afeganistão, vão lutar para treinar, rearmar-se e revigorar suas forças após o encolhimento dos orçamentos. E as tropas enfrentam um futuro incerto. Muitos soldados estão marcados pelas tensões mentais de batalha e o custo dos cuidados de veteranos deve crescer.
Defesa e ataque
Na época dos atentados do 11 de Setembro, os militares se concentravam quase inteiramente em ameaças externas. Defesas aéreas vigiavam aviões e mísseis que podiam atacar de longe, havia pouca atenção para a possibilidade de que terroristas pudessem sequestrar aviões nacionais e usá-los como mísseis.
Esse cenário mudou com a criação do Comando do Norte, em 2002, que agora compartilha a responsabilidade de defender o território dos EUA com o Departamento de Segurança Interna. O terrorismo não era um novo desafio em 2001, mas a escala dos ataques de 11 de Setembro cobraram uma mudança na mentalidade dos EUA, da defesa para o ataque.
Os EUA invadiram o Afeganistão em 7 de outubro em uma campanha militar não convencional que foi coordenada com a CIA. Isso demonstrou um dos efeitos mais profundos do 11 de Setembro: uma mudança na ênfase dos militares de combate convencional em batalhas de exército contra exército, para a execução de batalhas mais secretas, baseadas em inteligência na caça aos terroristas.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Diga não às Drogas - Valorize a VIDA.

Proibição de venda de Pacotes de Serviços Estéticos pela Internet

Conselho proíbe venda de pacotes de serviços estéticos pela internet

Drenagens, massagens e tratamentos feitos sem avaliação prévia e por pessoas sem habilitação podem até matar, segundo o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

 
O Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional proibiu a venda, na internet, de pacotes de serviços estéticos, como drenagem linfática e ultrassom.
As promessas de acabar ou reduzir muito gordurinhas, celulite e estrias já são uma tentação. Com preços baixos, são mais atraentes ainda. Pode ficar difícil resistir a ofertas quase milagrosas de pacotes vendidos em um clique do computador. Mas o que parece muito bom pode ser um perigo.
Drenagens, massagens e tratamentos feitos sem avaliação prévia e por pessoas sem habilitação podem até matar, segundo o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, que decidiu proibir o que considera abuso na venda pela internet.
O alvo são os sites de compras coletivas que podem induzir à contratação dos serviços por impulso em clínicas que não tomam os cuidados necessários. Até o tratamento que parece mais inofensivo pode ter contraindicações.
“A drenagem pode soltar um trombo, um acidente vascular isquêmico, dentre outros riscos à saúde da população”, diz a fisioterapeuta Andrea Fuchs Botsaris.
“Dentro do pilates, por exemplo, há um movimento contraindicado em uma lesão, como uma hérnia de disco”, ressalta a fisioterapeuta Aparecida Pellicciotti. “Se o paciente precisar de um marcapasso e o profissional for aplicar o equipamento de corrente russa, por exemplo, ele pode matá-lo.”
A venda indiscriminada de pacotes de tratamentos poderá render punição, como a suspensão do registro no Conselho Regional de Fisioterapia (Crefito), mas só aos fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. Evitar clínicas irregulares e profissionais sem habilitação vai depender da pesquisa e do cuidado de quem contrata.
“Estamos notificando a todos. Em não ocorrendo a observação dessa decisão, nós chamamos esses profissionais, abrimos um processo administrativo ético que pode culminar inclusive na perda do exercício da profissão", reforça Gil Lucio de Almeida, presidente do Crefito.
A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico declarou que considera dever das empresas de compras e dos profissionais que nelas trabalham zelar pela legalidade de seus produtos e serviços.

sábado, 27 de agosto de 2011

Furacão Irene deixa mortos

Furacão Irene deixa mortos

Quatro mortes foram confirmadas pelas autoridades na costa leste dos EUA.
Mais de 250 mil pessoas estão sem energia elétrica.

Do G1, com agências internacionais *
 

O furacão Irene provocou a morte de, pelo menos, quatro pessoas ao chegar à costa leste dos Estados Unidos na manhã deste sábado (27), de acordo com autoridades locais. Em sua passagem pelo Caribe, seis pessoas morreram.
A primeira vítima foi um homem do condado de Nash County. Um galho de uma árvore de grande porte caiu sobre ele, enquanto caminhava do lado de fora de sua casa. No momento do acidente, os ventos na região alcançavam mais de 100 km/h.
A outra vítima, de acordo com a Divisão de Gerenciamento de Emergências NC, foi um homem não identificado de Onslow County, que sofreu um ataque cardíaco enquanto colocava placas de madeira sobre as janelas de sua casa.
Segundo a emissora de televisão NBC, uma pessoa morreu em um acidente de trânsito no condado de Pitt. Na tarde deste sábado, um garoto de 11 anos morreu após uma árvore cair no apartamento onde ele morava, no estado da Vírgínia.
Estragos
As condições do clima têm piorado desde a madrugada deste sábado, e o furacão já causa inundações e quedas de energia generalizadas. Mais de 250 mil pessoas estão sem energia. O furacão deve chegar a Nova York neste fim de semana. Na região, todo o transporte público foi interrompido e 250 mil pessoas terão de deixar suas casas. Pontes e túneis foram interditados e há risco de corte de energia.

Ao todo, sete estados no país estão em emergência. Cerca de 2 milhões de pessoas foram orientadas a sair de casa, entre elas, o presidente norte-americano, Barack Obama, que interrompeu as férias na região.
Os ventos máximos sustentados pelo furacão atingem a velocidade máxima de 140 km/h, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês) dos Estados Unidos. Mais cedo, o furacão foi classificado como de categoria 1 - de menor intensidade (em uma escala que vai até 5) -, de acordo com o NHC.
saiba mais
Este é o primeiro ciclone que chega ao território dos EUA desde que Ike, em 2008, tocou terra em Galveston, no Texas. O Irene começou a castigar, nesta sexta-feira (26), o litoral da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, com fortes ventos, chuvas torrenciais e ressaca.
Está vigente um aviso de furacão (passagem do sistema em 36 horas) desde Nova Jersey e Nova York até a costa de Massachusetts, incluindo as ilhas de Martha's Vineyard e Nantucket. Permanece em vigor uma vigilância de furacão (passagem em 48 horas) para o norte de Sandy Hook, em Nova Jersey, até a desembocadura do rio Merrimack, em Massachusetts.

furacão Irene (Foto: AP)

Furacão Irene causou a morte de, pelo menos,seis pessoas  (Foto: AP)

Voos canceladosDiversas companhias aéreas cancelaram voos, entre este sábado e domingo (28), à costa leste do país e todos os previstos para Nova York. Entre as companhias que mudaram os planos de voos estão Air France, American Airlines, AirTran Airways, JetBlue Airways, Delta Air Lines e Southwest Airlines. Ao todo,  5 mil voos foram cancelados.
No caso da Air France, foram suspensos também, neste sábado, os voos para Washington. Com destino a Boston, no entanto, não houve cancelamentos. Para o domingo, a situação deve se inverter nas duas localidades, pelo menos no que diz respeito aos voos da Air France.
O presidente americano, Barack Obama, decretou estado de emergência na Carolina do Norte, Nova York, Virgínia e Massachusetts, estados em que está previsto a passagem do furacão nas próximas horas. O presidente norte-americano se deslocou neste sábado à sede da Agência Federal para a Gestão de Emergências (Fema) para acompanhar a passagem do furacão Irene.

Ressaca 'extremanete' perigosa

Após passar pela Carolina do Norte, o furacão se deslocará ao longo da costa nordeste dos Estados Unidos e afetará muitas cidades que se encontram na área, informou o meteorologista Félix García, do NHC.
A população de Nova York aguarda a chegada do furacão Irene, que pode alcançar a cidade neste final de semana e ser classificado como o mais intenso da história das medições do NHC.
Segundo o instituto, o Irene chegou a alcançar nesta sexta o nível 3 na escala Saffir-Simpson, com ventos a uma velocidade de 170 km/h, e chegou a possuir a mesma categoria do Katrina - o furacão que devastou Nova Orleans em 2005, deixando 1.700 mortos.

(*) Com informações das agências de notícias Efe, Reuters e Associated Press

Os meteorologistas recomendaram aos moradores que tomem precauções porque Irene causará ressaca extremamente perigosa, que deve elevar o nível de água entre dois e três metros acima da média normal.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Curso online Fenômeno Bullying - Prevenção e Combate


Segurança Privada em Bares e Casas Noturnas

Projeto de lei regulamenta atividade de segurança privada em bares e casas noturnas

Luiz Carlos Gondim (PPS) protocolou esta semana, na Assembleia Legislativa, projeto de lei que disciplina a contratação de segurança privada pelas casas noturnas, danceterias e estabelecimentos similiares no Estado.
Pelo projeto, ficam obrigadas as casas noturnas e estabelecimentos comerciais a contratarem empresas de segurança privada cadastradas devidamente nos órgãos de segurança pública do Estado e que atendam a legislação vigente no setor. Os agentes de segurança deverão permanecer, durante toda a prestação do serviço, uniformizados e identificados por crachá, com foto.
As obrigações das empresas de segurança incluem garantir a integridade física e moral dos clientes, utilizar-se de meios não violentos nas eventuais intervenções e, ainda, elaborar e manter um plano de segurança que deverá ser apresentado e aprovado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública. A não observância de qualquer destas obrigações sujeita os estabelecimentos a várias sansões.
Segundo o deputado Gondim, a regulamentação dos serviços de segurança é de suma importância para diminuir os casos de agressões aos consumidores por pessoas que se nominam seguranças, mas não possuem qualificação ou treinamento para exercer a função. "A mídia sempre tem denunciado casos de agressão aos clientes e consumidores de bares e casas noturnas mostrando despreparo e truculência. Por esta razão a pertinência deste projeto",afirma. (pm)
Autor: Da assessoria do deputado Luiz Carlos Gondim

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Número de homicídios cai em SP

25/08/2011 18h10 - Atualizado em 25/08/2011 18h46

Número de homicídios cai e de latrocínios aumenta em SP

Dados foram divulgados nesta quinta (25) pela Secretaria da Segurança.
Polícia diz que problema merece atenção especial das autoridades.

Do G1 SP
O número de homicídios caiu 8,35% em todo o estado e 23,69% na capital paulista entre janeiro e julho de 2011, em comparação com os primeiros sete meses de 2010,  de acordo com as estatísticas mensais da criminalidade, divulgadas nesta quinta-feira (25) pela Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP), da Secretaria da Segurança Pública (SSP).
Segundo a CAP, até julho de 2011 ocorreram 2.370 homicídios dolosos no estado, 216 a menos do que os 2.586 até julho de 2010. No município de São Paulo, foram 570 casos em sete meses, 177 a menos do que os 747 registrados entre janeiro e julho de 2010.
Segundo a SSP, o número de latrocínios no estado teve aumento de 15,92%, de 157 entre janeiro e julho de 2010 para 182 de janeiro a julho de 2011. No acumulado de 12 meses, a alta é de 6,92%. Segundo a secretaria, uma das hipóteses para essa alta é que as pessoas estejam reagindo aos assaltos. A PM orienta nunca reagir a um roubo.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública,  o número de homicídios intencionais registrados nos sete primeiros meses do ano coloca SP fora da zona considerada epidêmica pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A OMS considera epidêmica o limite acima de 10 mortes intencionais por grupo de 100 mil habitantes/ano. A taxa de homicídios paulista até julho é de 9,75 por 100 mil habitantes.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Mercado da Blindagem no Brasil

Diante da violência, sobretudo, nas grandes cidades, a preocupação com a proteção pessoal tem aumentado. Como medida preventiva, as pessoas têm procurado cada vez mais por veículos blindados e isso tem aquecido o mercado da blindagem de automóveis no Brasil.

Dados da Abrablin apontam que 7.332 veículos receberam esse tipo de proteção no ano de 2010, um aumento de 5,86% na comparação com 2009, quando 6.926 carros foram blindados. De acordo ainda dados da pesquisa, outras cidades têm se destacado fora do eixo Rio-São Paulo. O Paraná, por exemplo, é terceiro estado com o maior número de carros blindados em 2011, com uma média mensal de 25 automóveis blindados por mês. Só em Curitiba são 20 carros por mês. O Brasil tem a terceira maior frota de carros blindados do mundo, atrás apenas da Colômbia e México. Para quem pensa em adquirir um veículo blindado, é importante conhecer algumas dicas, publicadas pelo Portal Alpini:


1. É recomendável fazer um curso de direção defensiva ao se adquirir um blindado. Nestes cursos aprende-se como fazer manobras rápidas e fugir de um possível assalto ou sequestro. A BMW oferece o
Driver Training Protection com duração de um dia e o Centro de Pilotagem Roberto Manzini (11 5667 4343) ministra o Curso de Proteção para Executivos em dois dias.

2. O proprietário de um carro blindado também deve ficar atento à manutenção. Como são acrescidos entre 120 e 150 quilos ao peso total, componentes como freios e suspensão têm sua vida útil diminuída. Desta forma as trocas devem ocorrer em um intervalo menor de tempo. Naturalmente, em uma frota de quase 15 mil blindados, não faltam ofertas de usados. Jornais como o Estado de São Paulo até já incluíram uma seção específica para os modelos em seus classificados. Um blindado usado é uma boa opção para quem não quer investir até o dobro do valor do carro na blindagem. Veículos com um ano de uso são encontrados com preços bastante atraentes frente a um 0 km.

Importante ainda:

- Todo veículo blindado deve ser registrado nas secretarias estaduais de Segurança Pública. Se o carro não possuir o documento à parte, você deverá providenciá-lo.
- Certifique-se de que a empresa blindadora ainda existe, visto que não é difícil nesse ramo algumas empresas fecharem de uma hora para outra.
- Verifique há quanto tempo à blindagem foi feita. Não vale a pena comprar um carro com serviço realizado há mais de cinco anos, pois o material e as técnicas de proteção evoluíram muito neste período. Veja também se todas as revisões do serviço foram feitas.
- Exija sempre o certificado da blindadora, com nome da empresa, nível de proteção prometido e data em que o serviço foi executado.
- Carroceria - Verifique pneus, colunas, ancoragem do cinto de segurança, maçanetas, retrovisores externos, divisão entre motor e cabine, porta-malas e banco traseiro.
- Vedação e acabamento - Confira as borrachas e se não há peças internas soltas.
- Mecânica - Molas, amortecedores e pastilhas podem estar desgastados devido ao aumento de peso.
- Vidro Elétrico - Apesar de quase nunca se abrir o vidro, verifique se eles sobem e descem normalmente.
- Vidros - Bolhas e descascados não podem passar de 1 cm³. Trincas de até 5 cm não comprometem. Vidros deslaminados e esbranquiçados exigem troca.

Fonte : DE-SEGURANÇA

Precisamos Reagir ! Basta de Violência!

CORSECURITY 2011

Congresso FEBRABAN - TERRORISMO

WORKSHOP ASIS - São Paulo

Curso Celacade - WEBINAR

terça-feira, 23 de agosto de 2011

ESPECIAL Protagonismo Juvenil

22/08/2011

ESPECIAL Protagonismo Juvenil


Resolução incentiva protagonismo infantojuvenil
Normativo do Conanda concretiza maior participação de crianças e adolescentes na luta pela garantia de seus direitos

do Portal Pró-Menino

A participação infantojuvenil na defesa pelos seus direitos ganhou mais força. No começo de agosto, foi publicada a Resolução nº 149 do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda). Segundo o documento, mais crianças e adolescentes devem participar das comissões de organização de todas as etapas (municipais/distrital e estaduais) da IX Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente, que acontecerá em julho de 2012. 

“O Conselho entende que já não é mais possível fazer políticas de promoção dos direitos de crianças e adolescentes sem a participação deles”, acrescenta Alexandre. Isso ganhou maiores dimensões com a elaboração e a aprovação, em abril, do Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes. O documento tem uma seção específica sobre o tema e traz decisões que incentivam a “participação organizada e a expressão livre de crianças e adolescentes”.
MobilizaçãoA garantia da participação de crianças e adolescentes fica por conta dos Conselhos Municipais e Estaduais dos Direitos, que devem incluí-los nas etapas anteriores à Conferência Nacional. Segundo Alexandre, “o Conanda vai mobilizar, conscientizar e orientar os Conselhos Estaduais que, por sua vez, devem passar as informações para os municípios. Contamos com o empenho de todos os conselheiros para que incentivem os adolescentes a participar dos eventos”.
Para Miriam Abramovay, coordenadora da Área de Juventude e Políticas Públicas da FLACSO (Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais), “a resolução é fenomenal. Mas o incentivo não deve partir somente dos conselhos dos direitos. O tema deve ser abordado em escolas, ONGs e até em instituições de cumprimento de medidas socioeducativas. Quanto mais o assunto for divulgado, mais crianças e adolescentes vão querer se informar e participar”.
ProtagonismoHá quem diga que crianças e adolescentes são desmotivados e que não se interessam pela garantia de seus direitos. “Nós temos idéias adultocratas. Exigimos deles que atuem por um modelo de participação de 30, 40 anos atrás. Mas precisamos entender que, mesmo não indo às ruas, eles participam. Acabei de voltar de uma conferência que contou com a presença de mais de 600 jovens. Isso mostra que eles estão preocupados com a realidade em que vivem, com o futuro. E com adolescentes isso não é diferente”, conta Miriam. 
Um exemplo de protagonismo juvenil é a atuação de Márcia Almeida Lima da Silva. Hoje com 16 anos, a adolescente já participou de duas Conferências Municipais realizadas pelo CMDCA de São Paulo, onde mora. “Quando cheguei ao abrigo, precisavam de um adolescente que conhecesse o ECA para participar de uma reunião representando o abrigo. Como eu já tinha aprendido sobre o Estatuto na escola, fui selecionada. Nesse evento houve uma eleição e eu fui escolhida como delegada para a primeira Conferência do CMDCA que participei”, conta, animada.
Para a jovem, debater os direitos que não são colocados em prática e tentar fazê-los funcionar é muito prazeroso. “Se o ECA existe para nos ajudar, temos que fazer de tudo para que as suas diretrizes sejam respeitadas e colocadas em prática. Além disso, gosto de falar sobre isso para amigos do abrigo e da escola. Quando a gente sabe dos nossos direitos, a gente pode lutar para garanti-los”.
Sobre o futuro, Márcia já tem a resposta na ponta da língua: “Vou continuar participando das conferências e estudando. Quero me formar em direito e ser juíza da Vara da Infância e da Juventude. Assim vou poder ajudar crianças e adolescentes que tiveram direitos violados”.
De acordo com a resolução, os Conselhos dos Direitos serão os responsáveis por garantir essa participação. E uma regra deve ser respeitada: a proporção de uma criança ou adolescente para cada dupla de adultos. “Essa proporção foi decidida para manter a mesma proporção da comissão de organização da VIII Conferência Nacional, que contou com cinco adolescentes, um representando cada região do país, e dez adultos”, afirma Alexandre Cruz, conselheiro do Conanda.

Capacitação em APH

Seminário na UNESP

Seminário de Segurança Pública da UNESP: Controle social, democracia e gênero

Juliana Vinuto - Barueri(SP) - 15/04/2011
 
Data: 
Qua, 14/09/2011 (Todo dia)
Local: Faculdade de Filosofia e Ciências, UNESP, Marília - SP
Período: 14 a 16 de setembro de 2011
Carga Horária: 23 horas
Coordenação Geral: Prof. Dr. Luís Antônio Francisco de Souza

Programação

14 de setembro de 2011. Quarta-feira
10h00 - 12h00 - Instalação da Secretaria e recepção do evento: identificação, inscrição no evento, nos mini cursos e entrega de material.

10h00 - 12h00 - Mostra de Filme: 5X favela
Coordenação: Boris R. Magalhães e Cesar Grusdat de Assis

14h00 - 17h30 - Mini- Curso
Mini Curso I “ Historiografia da polícia em perspectiva comparada.
Expositor: Prof. Dr. André Rosemberg (UNESP- Marília)

14h00 - 17h30 - Mini-Curso
Mini Curso II “ Sistema penitenciário e segurança pública.
Expositor: Prof. Dr. Pedro Rodolfo Bodê de Moraes (UFPR)

14h00 - 19h00 - Instalação da Secretaria e recepção do evento: identificação, inscrição no evento e entrega de material.

19h00 - 19h30 - Abertura
Profa. Dra. Mariângela Spotti Lopes Fujita (Diretora da Faculdade de Filosofia e Ciências, UNESP- Marília)
Prof. Dr. Luís Antônio Francisco de Souza (Chefe do Departamento de Sociologia e Antropologia, UNESP - Marília)
Prof. Dr. Edemir de Carvalho (Coordenador do Conselho de Curso de Ciências Sociais, UNESP - Marília)
Prof. Dr. Marcos Tadeu Del Roio (Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, UNESP -Marília)

19h30 - 22h30Mesa Redonda 1: Polícia, controle social e transparência

Coordenador - Rodolfo Arruda Leite de Barros (UNESP- Marília)
Expositora: Profa. Dra. Letícia Maria Schabbach (UFRGS)
Expositor: Rita de Cássia Biason (Unesp-Franca)
Expositora: Profa. Dra. Paula Ferreira Poncioni (UFRJ)
DebatedorProf. Dr. Pedro Bodê de Moraes

15 de setembro de 2011 - Quinta-feira

09h00 - 12h00 - Mesa Redonda 2: Políticas Públicas e questões de gênero
Coordenador Thiago Teixeira Sabatine (UNESP- Marília)
Expositora: Profa. Dra.Márcia Esteves de Calazans (UFRGS)
Expositora: Profa. Dra. Larissa Pelúcio (UNESP - Bauru)
Expositora: Profa. Dra. Lucila Scavone (UNESP- Araraquara)
DebatedoraProfa. Dra. Lídia Maria Viana Possas (UNESP -Marília)

14h30 -18h00 - Sessões de Comunicação: apresentação de trabalhos acadêmicos da graduação e pós-graduação
1 Segurança pública e identidades
2 Direitos e sociedade punitiva
3 Controle social e políticas públicas

19h30 - 22h30 - Mesa Redonda 3 - Segurança pública e democracia

Coordenador Thaise Marchiori (UNESP- Marília)
Expositor: Prof. Dr. Paulo Sérgio da Costa Neves (UFS)
Expositora: Profa. Dra. Ana Paula Mendes de Miranda (UFF)
Expositora: Jacqueline Muniz (Cesec-Ucam)
DebatedorProf. Dr. Luís Antônio Francisco de Souza (UNESP - Marília)
 
Onde fica: 
 
Local: Faculdade de Filosofia e Ciências, UNESP, Marília - SP
 
Quando ir: 
Período: 14 a 16 de setembro de 2011
 
Quanto custa: 
marcia.calazans@ufrgs.br
Contato: 
marcia.calazans@ufrgs.br

Manual de policiamento comunitário NEV/ USP

Manual de policiamento comunitário NEV/ USP
Sergio Flores de Campos - Santa Rosa(RS) - 03/08/2011
Resumo:

' O policiamento comunitário, hoje em dia, encontra-se amplamente disseminado nos países economicamente mais desenvolvidos. Sem dúvida isso é uma conquista desses países, pois essa é a forma de policiamento que mais se aproxima das aspirações da população: ter uma polícia que trabalhe próxima da comunidade e na qual ela possa crer e confiar.

Acreditar e confiar na polícia são considerados elementos essenciais para que a polícia possa ter legitimidade para aplicar as leis, isto é, para a polícia ser percebida pela população como tendo um direito legítimo de restringir comportamentos, retirar a liberdade de cidadãos e, em casos extremos, até mesmo a vida.

Sem a colaboração do público, a polícia não pode melhorar seu desempenho e essa colaboração exige confiança. A experiência tem demonstrado que o policiamento comunitário é um caminho seguro para se reconstruir a confiança e credibilidade do público na polícia.

Este manual tem como objetivo mostrar os passos básicos para se realizar o policiamento comunitário. Através do relato de três experiências realizadas em diferentes Estados brasileiros será demonstrado como a população e a polícia podem trabalhar juntas.

Esperamos que este manual sirva de incentivo para policiais e grupos de cidadãos ativos em suas comunidades dialogarem com as autoridades da segurança pública para adotarem o policiamento comunitário.'    
http://www.nevusp.org/

Técnico em Extintor

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

II Seminário Regional sobre a Violência Contra a Criança e Proteção Escolar


II Seminário Regional sobre a Violência Contra a Criança e Proteção Escolar



O Comandante do 26º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano, Ten Cel PM Wanderley Mascarenhas de Souza, tem a honra de convidar Vossa Senhoria para o II Seminário Regional sobre a Violência Contra a Criança e Proteção Escolar.
...

Data: 05 e 06 de setembro de 2011.

Horário: 08:00h

Local do Evento: Centro Cultural Isaura Neves.

Rua Argentina nº 400 - Centro – Caieiras-SP

Interseg & IACP no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro é o destino da Interseg em 2011

Data: 09/12/2010
Fonte: Fagga Eventos

Rio de Janeiro é o destino da Interseg em 2011

Principal destino dos próximos grandes eventos no Brasil, o Rio de Janeiro foi escolhido para sediar a 11a edição da Interseg – Feira Internacional de Tecnologia, Serviços e Produtos para Segurança Pública e a 9a Conferência Executiva de Segurança Pública para a América do Sul da Associação Internacional dos Chefes de Polícia (IACP), que acontecem simultaneamente de 21 a 23 de agosto, no Riocentro.
A escolha aconteceu no mês de outubro, em Orlando (EUA), durante a reunião da IPDCS (The International Policing Division Steering Committee), e contou com a presença do Secretário de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame.
 
O Rio será palco deste importante encontro do setor para a América do Sul e a expectativa é reunir 40 países, 6 mil participantes, sendo 1.200 estrangeiros. Temas como gestão e tecnologia em segurança pública entrarão em debate e proporcionarão o intercâmbio de experiências de sucesso internacional. A Fagga Eventos, empresa do Grupo GL events Brasil, é a organizadora da feira Interseg, que oferece os principais lançamentos em produtos e serviços do setor. Segundo Arthur Repsold, presidente da GL events Brasil, o momento não poderia ser mais propício, já que o Rio de Janeiro atravessa um período de excelência nas ações de política de segurança pública, que tem surtido reconhecimento de todos os setores da sociedade.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

PALESTRA


PALESTRA
  
A GESTÃO DA CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS BASEADA NAS BOAS PRÁTICAS                                                  
 Público Alvo: Gestores de Continuidade de Negócios, Gestores de Riscos, Gestores de Tecnologia da Informação e Gestores de Segurança da Informação.
Programa:
-> Apresentação dos conceitos de gestão de continuidade de negócios.
-> Normas e boas práticas relacionadas a gestão de continuidade de negócios.
-> Processo para construção de um plano de continuidade de negócios.
-> Pesquisa inédita abordando pontos fortes e fracos das empresas que possuem um    plano de continuidade de negócios.
-> Business case – Implantação do processo de gestão de continuidade de negócios.
 Palestrantes:
-> Prof . Dr.  Antonio Celso Ribeiro Brasiliano, CES, DEA, DSE
     Diretor Executivo da Brasiliano & Associados
-> Sandra Alves, Especialista em Gestão de Riscos
     Coordenadora da Divisão de Business Continuity Management da Brasiliano &  Associados. 
   Vagas Limitadas
  
Data: 30/08/2011
Horário: 09h00 ás 11h00
Local: Faculdade FAPI/FESPaculdade FAPI/FESP
Endereço: Avenida 9 de Julho, 5520 – Jardim Europa – São Paulo.
  
Informações
Tel: 11. 5531 6171

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Como contratar Serviços de Vigilância

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA
 
O presente artigo tem o propósito de nortear os interessados em contratar os serviços de vigilância patrimonial ou apenas homologar empresas que prestem este tipo de serviço, principalmente os que não dispõem de um gestor de segurança, bem como, os impossibilitados de contratar uma consultoria especializada em segurança empresarial. O objetivo deste, também, é abrir discussões acerca deste assunto tão importante para a sociedade. Aqui não esgotaremos o tema, pois, dada a dinâmica do segmento, são muitas as variáveis a serem analisadas e pesquisadas.
É notória a crescente demanda por contratações de empresas de vigilância patrimonial e, nessa mesma proporção, surgem diversas empresas no mercado. Ocorre, que nem todas estão em conformidade com a Legislação que normatiza e regulamenta a atividade de segurança privada no Brasil.
Por ocasião da proposta, essas empresas informam ao tomador de serviços, que não existem problemas; que as exigências da lei só são aplicadas ao vigilante que trabalha armado.
A legislação é muito clara e específica. Determina que toda empresa que exercer a prestação de serviços de Vigilância/Segurança, armada ou desarmada, deverá possuir a Autorização de Funcionamento (documento hábil expedido pelo Departamento de Polícia Federal e renovado anualmente), que permite à empresa explorar este ramo de atividade.
O exercício da atividade de vigilância e segurança privada é regido por legislação federal específica: Lei N.º 7.102/83, que estabelece normas para a constituição e funcionamento das empresas que exploram serviços de segurança, regulamentado pelo Decreto n.º 89.056/83 e a Portaria n.º 387/06 que estabelece normas para o exercício da atividade de segurança privada no País.
 
CUIDADOS BÁSICOS A SEREM TOMADOS
 
Existe documentação para ser solicitada às empresas prestadoras de serviços (terceirizadas especializadas) de vigilância ou segurança patrimonial, quando da seleção, do processo de aprovação e da prestação dos serviços. Portanto, observe criteriosamente os seguintes passos:
 
ANTES DA CONTRATAÇÃO
 
Primeiramente, o contratante deve ter clareza de suas necessidades. Quando possível, dimensionar os serviços a serem contratados, informando o número de profissionais, especificando a função e jornada de cada trabalhador no setor de serviço respectivo, demais acessórios e tecnologia. Esse dimensionamento, preferencialmente, deve ser feito por meio de um projeto integrado ou plano de segurança, elaborado pelo gestor de segurança ou consultoria de segurança especializada e com vivência no vosso tipo de negócio.
O contratante deve agir com toda cautela, não se deixando seduzir pela economia aparente que se revelam no preço final da proposta, uma vez que algumas empresas elaboram mal seus orçamentos, e por conta disso, é importante analisar o valor unitário de cada item requerido. Solicite ao tomador de serviços que apresente uma planilha detalhada de custos conforme o escopo da contratação e certifique-se de que todos os valores especificados no item anterior estejam corretamente contemplados. Esta é uma forma interessante para verificar se o valor a ser pago compreende todas as obrigações legais.
O contratante poderá, junto aos sindicatos, órgãos públicos, empresas, bancos ou condomínios para os quais as empresas tenham prestado serviço, obter informações adicionais, bem como, o desempenho da gestão e do serviço prestado.
 
DURANTE A CONTRATAÇÃO
 
Peça um plano de trabalho à empresa que pretende contratar, onde deverá constar o número adequado de vigilantes que serão utilizados, os tipos de sistema de alarme e/ou outros dispositivos de segurança a serem utilizados, de forma que seja garantida a incolumidade física de pessoas, patrimônio tangível e intangível.
Analisar nas propostas apresentadas, a discriminação de preços para cada trabalhador a ser disponibilizado, observando o piso salarial estabelecido para cada função, definido através da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria e aplicar a tabela de encargos sociais e trabalhistas sobre os mesmos.
É sempre importante verificar a capacidade das empresas participantes, principalmente a idoneidade da empresa a ser contratada. Para esta homologação deverão ser exigidos da empresa contratada os seguintes documentos:
 
Habilitação legal
 
a) Solicitar cópia do contrato social e suas últimas alterações,
b) Solicitar certidões atualizadas de negativa de débito das empresas junto ao INSS, ao FGTS e à Receita Federal, e o comprovante de recolhimento da Contribuição Sindical do exercício atual (GRCS).
 
Habilitação técnica
 
a) Atestados de capacidade técnica ou similar emitidos por clientes destas empresas,
b) Registro e autorização de funcionamento emitido pela Polícia Federal; é obrigatório para todas as empresas que prestam serviços de vigilância e segurança patrimonial,
c) Alvará de funcionamento válido por um ano da publicação no D.O.U.
d) Certificado de Segurança válido por um ano,
e) Certificado de Regularidade de Situação para funcionamento de Segurança Privada, válido por um ano,
f) Certificado de Cadastro – SFPC/2 - Fiscalização de Produtos Controlados do Ministério do Exercito, renovado anualmente.
 
Em São Paulo existe o CRS - Certificado de Regularidade em Segurança, fornecido pelo SESVESP – Sindicato das empresas de segurança privada, eletrônica, serviços de escolta e cursos de formação do estado de São Paulo, válido por um ano.
 
VISITA TÉCNICA/AUDITORIA
 
Conheça a empresa que pretende contratar e os métodos de treinamento dos vigilantes, visitando a empresa e verificando:
 
a) Quem são os administradores, o responsável legal e a qualificação,
b) Estrutura física (preferência por sede própria),
c) Qualificação dos supervisores (prefira os graduados ou pós em segurança),
d) Livro de registro de empregados,
e) Escopo (preferência por administrativo e operacional) das certificações “ISO”,
f) Forma de recrutamento e seleção dos vigilantes,
g) Plano de integração no contratado e no contratante,
h) Sistema de gestão,
i) Programa de cargo, carreira e salário,
j) Missão, visão e valores,
k) Existência de brigada de emergência,
l) Existência de CIPA,
m) Volume de compras e assiduidade nos fornecedores,
n) Quem são os clientes mais próximos da vossa empresa e preferencialmente visitá-los,
o) Formulários utilizados para os controles dos postos,
p) Forma de entrega de EPI e periodicidade de substituição,
q) Condições dos veículos utilizados pelos supervisores e transporte dos vigilantes,
r) Reserva técnica de vigilantes para contingências,
s) Cor e tipo de uniforme ou terno utilizado e periodicidade de substituição (as vezes as cores não combinam com o vosso negócio),
t) Plano e prazo de implantação do posto,
u) Periodicidade/freqüência da supervisão na vossa empresa em períodos diurnos, noturnos, feriados e fins de semana,
v) Acessórios fornecidos, tais como:
 
1. Tonfa,
2. HT ou meios de comunicação,
3. Algemas,
4. Guarda chuva/Sol, Capa de chuva,
5. Apito,
6. Boné,
7. Bastão de ronda.
 
Prefira empresas que tenham sua sede o mais próximo possível do vosso negócio ou mantenha uma base com os vigilantes (reserva técnica) para substituições avulsas ou imprevistas.
Também é interessante entrevistar os futuros contratados: porteiros, recepcionista, vigilantes, líderes e os supervisores, verificando a expertise, perfil e experiência com o vosso tipo de negócio. Muita das vezes, os profissionais enviados pela contratada, não atendem aos requisitos mínimos estabelecidos pela contratante.
 
DURANTE A EXECUÇÃO
 
Cabe ao contratante dos serviços, fiscalizar para garantir que as mesmas estejam cumprindo com suas obrigações sociais e tributárias, conforme valores especificados e alocados em planilha. O tomador de serviços tem a obrigação e o direito de exigir mensalmente à empresa terceirizada, tendo em vista que a responsabilidade é solidária, os seguintes documentos:
 
a) Comprovante de pagamento de cada trabalhador locado no vosso negócio,
b) Cópia da guia de recolhimento do INSS e do FGTS individualizada aos trabalhadores locados no vosso negócio,
c) Cópia dos recibos de entrega dos vales-transporte, refeição, uniformes e outros benefícios sociais estipulados em Convenção Coletiva.
d) Cópia dos pagamentos de férias ou verbas rescisórias de todos os empregados que estejam, ou estiveram contratados no vosso negócio,
e) Certidões negativas de débitos atualizadas junto ao INSS, FGTS e Receita Federal.
 
É interessante vincular o pagamento da fatura à apresentação dos itens acima, ou seja, caso não apresente os documentos, a fatura não será paga.
Acompanhar e solicitar os comprovantes das renovações dos documentos mencionados na habilitação técnica.
A propósito, não se pode confundir vigilante com porteiro ou similar.
Conforme o parágrafo III do artigo 3º da portaria 387 da Polícia Federal, Vigilantes são os profissionais capacitados pelos cursos de formação, empregados das empresas especializadas e das que possuem serviço orgânico de segurança, registrados no DPF, responsáveis pela execução das atividades de segurança privada;
Observa-se que o curso de formação é também autorizado e fiscalizado pela Polícia Federal, enquanto que os porteiros ou similares não são fiscalizados e nem os seus cursos controlado; existem apenas cursos livres, cujo conteúdo está voltado para o controle de acesso e não vigilância.
Existem no mercado empresas pertencentes a grupos que prestam vários tipos de serviços tais como: portaria, limpeza, recepção, monitoramento eletrônico, vigilância, entre outros.
Dessa forma, é interessante que se contratem recepcionistas, porteiros e similares de empresas que façam parte desses grupos, facilitando o trabalho de seleção e homologação, haja vista, que a verificação e análise dos dados principais serão para contratação dos serviços de vigilância. Portanto, diminuirá drasticamente a possibilidade da contratação de serviços de empresas clandestinas, seja para a contratação de um vigilante ou uma recepcionista.
Vale ressaltar, que na contratação de todas as modalidades de profissionais (porteiros, recepcionistas, vigilantes, entre outros) de uma mesma empresa, o ganho pode ser por conta da existência de um único contrato a se gerenciar e que necessariamente não se terá um ganho de qualidade. Por outro lado, quando se contrata os porteiros de uma empresa e os vigilantes de outra, existirão mais contratos para se gerenciar e mais contatos com os supervisores, porém, ambas as empresas tenderão a demonstrar maior interesse na prestação de melhor serviço, devido à concorrência por um mesmo cliente. Este ponto de vista é uma reflexão e não necessariamente reflete o melhor resultado; no entanto, vislumbrando continuidade de negócios, é uma forma de obter socorro rápido e seguro, no caso de quebra de uma das prestadoras.

                    Teanes Carlo Santos Silva
             Especialista em investigações e fraudes empresariais pela FECAP/BRASILIANO.
             Pós graduado em Gerenciamento da Qualidade pela Universidade Bandeirante de São Paulo.
             Graduado em Gestão de Segurança Empresarial pela Universidade Bandeirante de São Paulo.
             Inicio de carreira em 1990 na Segurança Privada                                             
             Secretário do Comitê Nacional de Prevenção Perdas e Diretor Pleno da ABSEG.
             Gestor de Segurança Patrimonial da TRW Automotive – Divisão BCS
                    E-MAIL  teanes@terra.com.br