sábado, 31 de março de 2012

ATAQUES A CAIXAS ELETRÔNICOS SP

31/03/2012 08h05 - Atualizado em 31/03/2012 10h33

Criminosos atacam caixas eletrônicos na Zona Leste de SP

Crime aconteceu na madrugada deste sábado, na região de Sapopemba.
Dinheiro, porém, não foi levado, segundo a polícia.

Do G1 SP
 
Criminosos explodiram dois caixas eletrônicos na madrugada deste sábado (31), na Avenida Manuel Pimentel, na região de Sapopemba, na Zona Leste de São Paulo. Eles não conseguiram levar o dinheiro, de acordo com a Polícia Militar.

Quando os policiais chegaram ao local, os criminosos já tinham fugido. Um pé de cabra foi encontrado próximo aos caixas. Ninguém foi preso. O caso foi registrado no 69º Distrito Policial, em Teotônio Vilela.
 

sexta-feira, 30 de março de 2012

TERRORISMO NO CÓDIGO PENAL

30/03/2012 14h55 - Atualizado em 30/03/2012 14h55

Terrorismo é incluído como crime em anteprojeto do Código Penal

Exploração de jogo de azar sem autorização também pode se tornar crime.
Comissão discute anteprojeto, que ainda será analisado no Congresso.

Do G1, em Brasília
 
Relator do anteprojeto do Código Penal, o procurador regional da República da 3ª Região Luiz Carlos dos Santos Gonçalves (Foto: Natalia Godoy / G1)
 
Relator do anteprojeto do Código Penal, o
procurador regional da República da 3ª Região
Luiz Carlos dos Santos Gonçalves (Foto: Natalia
Godoy / G1)
 
A comissão de juristas que elabora o anteprojeto de Código Penal a ser discutido no Congresso aprovou nesta sexta-feira (30) o terrorismo e a exploração de jogos de azar sem autorização legal com crimes para o anteprojeto de lei do novo código.
O terrorismo é atualmente considerado crime pela Constituição Federal de 1988, mas não está tipificado no Código Penal e, portanto, não há previsão de tempo de pena, por exemplo. A exploração de jogos também não é crime e está na legislação brasileira como contravenção penal, penas mais brandas que geralmente não levam à prisão.
O anteprojeto, que está em fase final de elaboração, deve ser entregue até maio ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Ele deve criar uma comissão especial de senadores para discutir o assunto e para que a proposta comece a tramitar na forma de um projeto de lei.

De acordo com o relator do anteprojeto do novo Código Penal, o procurador regional da República da 3ª Região Luiz Carlos dos Santos Gonçalves, a pena prevista para terrorismo será de oito a 15 anos de prisão. Além de tornar crime no Código Penal, o anteprojeto revoga a Lei de Segurança Nacional, que, segundo o relator, a partir de agora se tornou "incompatível".
A Lei de Segurança Nacional, de 1983, prevê reclusão de três a dez anos para quem "praticar atentado pessoal ou atos de terrorismo, por inconformismo político ou para obtenção de fundos destinados à manutenção de organizações políticas clandestinas ou subversivas. [...] Se do fato resulta lesão corporal grave, a pena aumenta-se até o dobro; se resulta morte, aumenta-se até o triplo."
De acordo com a Agência Senado, o anteprojeto afirma que será considerado terrorismo, “causar terror na população” mediante condutas como sequestrar ou manter alguém em cárcere privado; usar, portar ou trazer consigo explosivos, gases tóxicos, venenos, conteúdos biológicos ou outros meios capazes de causar danos; incendiar, depredar, saquear, explodir ou invadir qualquer bem público ou privado; e interferir, sabotar ou danificar sistemas de informática e bancos de dados.
Os juristas também consideram a conduta de sabotar o funcionamento ou apoderar-se do controle de comunicação ou de transporte, de portos, aeroportos, estações ferroviárias ou rodoviárias, hospitais, casas de saúde, escolas, estádios, instalações públicas ou locais onde funcionem serviços públicos essenciais, inclusive instalações militares.
O presidente da comissão de juristas, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Gilson Dipp, disse que, anteriormente, era contra a tipificação do terrorismo, mas que agora, "os tempos são outros e a responsabilidade é outra".
Foi aprovado pela maioria dos juristas o parágrafo que não considera terrorismo condutas individuais ou coletivas de "pessoas movidas por propósitos sociais". Segundo palavras do relator, "a lei não se aplicará a movimentos sociais com meios lícitos".


Reunião de comissão de juristas no Senado (Foto: Natalia Godoy / G1)
 
Reunião de comissão de juristas no Senado (Foto:
Natalia Godoy / G1)
Exploração do jogo de azar

A comissão também aprovou a proposta de criminalização da "exploração de jogos de azar sem autorização legal regulamentar". A pena prevista será de até dois anos. Atualmente, a Lei de Contravenções Penais prevê prisão simples de três meses a um ano e multa para quem "estabelecer ou explorar jogo de azar em lugar público ou acessivel ao público, mediante o pagamento de entrada ou sem ele".
"Aquela visão quase folclórica, quase simpática da exploração de alguns jogos de azar ficou
no passado, muitas vezes nós temos verdadeiras organizações criminosas por volta explorando esses jogos ilícitos", afirmou o relator sobre a importância da criminalização para que o Estado consiga alcançar e penalizar uma organização criminosa.

RECOMENDE A GNA E TENHA BONS LUCROS

terça-feira, 27 de março de 2012

BLINDAGEM DE CARROS

Mitos Sobre a Blindagem de Carros

Escrito por Patricia Sobral em 07/03/2012
 
blindagem, blindado, carro, segurançaExistem muitos mitos sobre a blindagem de automóveis. As empresas observam o mercado aquecido do serviço e prometem maravilhas utópicas.
O consumidor deve ficar muito atento e ser bastante criterioso na escolha da empresa que irá blindar seu veículo. A violência nas ruas está aumentando consideravelmente na mesma medida que crescem os rumores a respeito da blindagem. Conheço os principais mitos sobre blindagem:
- Garantia de 100% do carro não existe, quase nenhuma empresa oferece e quase todas pressupõem assegurar. Só há garantia quanto aos materiais danificados. Não caia na lábia do vendedor.
- Blindagem barata não existe. Todo o processo de blindagem já é por si só bastante custoso quando é realizado qualitativamente. Muitos dizem que a diferença está no preço uma vez que blindagem é tudo igual. Uma grande mentira, pois só a diferença entre material de aramida ou aço empregado já deixa o preço bastante desproporcional.
- Aramida não protege mais do que aço. Acontece é que o último material deixa o automóvel mais pesado, tornando custosa a manutenção de novos pneus blindados ou suspensão.
- Blindagens feitas com qualidade não causam ruídos no veículo.
- O peso de uma blindagem não diminui a potência do automóvel. Algumas empresas dizem que um automóvel com uma blindagem que pesa 100 quilos pode aguentar tiros de 9 milímetros, um grande mito uma vez que só o vidro de um veículo com blindagem 3 (resistente contra o calibre) pesa mais ou menos 150 quilos. O papo de vendedor pode levar o consumidor a óbito.

quinta-feira, 22 de março de 2012

ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS

 

O PODER ECONÕMICO DAS ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS.

 

março 21, 2012


Os poderes econômicos atuais dos grupos terroristas ou organizações criminosas estão muito mais fortes, e está é a grande preocupação. Na América, em especial: Brasil, Bolívia, Colômbia, Paraguai, Peru, Jamaica, México e EUA, organizações criminosas giram bilhões de dólares.
Não existem números, nem dados exatos dos giros financeiros realizados por eles, pois boa parte dos políticos, e policiais desses países, se beneficiam destes montantes financeiros através da corrupção.
No futuro maiores conflitos militares devem se estender. A corrida por enriquecimento de urânio deve continuar por longos anos, pois o tanto de países que já possuem este conhecimento, podem chegar a venda, ou transferência de tecnologia a supostos interessados, e os mesmos, acabarem usando, ou revendendo a outros.
Se armas nucleares forem usadas à curto, ou médio prazo, o sistema internacional atuante cairá naturalmente, isto devido às pressões que sofreria da comunidade internacional. Com o sistema econômico mundial abalado, as potências mundiais não sobressairiam deste acontecimento sem serem responsabilizadas ou culpadas.
Caso ocorra este acontecimento, o poder de ações, e opiniões de organizações que incluem: Religiões, ONGs, Empresas e até mesmo Facções criminosas, cresceriam sem muitas dificuldades, isto podemos afirmar, devidos exemplos destes acontecimentos em regiões periféricas do Brasil.
Com a ausência do Estado, crescemos vendo o fortalecimento de ONGs, Religiões, Comércios e Facções criminosas assumirem estes locais através da administração, “segurança” e responsabilidades sociais em territórios que há décadas, foram abandonados pelo governo. Esta ausência irresponsável do Estado, estruturou e fortaleceu instituições legais e ilegais.
Em regiões como África, Ásia, e países Árabes, nações as quais conhecemos hoje pela intencidade de protestos, e derrubada de ditadores, podem se desestruturar mais ainda devido à incapacidade dos governos fazerem frente às necessidades básicas, inclusive, de segurança e distribuição de renda, como no caso que relatamos no Brasil.
Outro lugar que pode aumentar o poder econômico de organizações criminosas, ou terroristas, e são visíveis estes riscos atualmente, é na Europa.
Como já dissemos: com a atual crise financeira, e o desaparecimento do emprego formal, pode dar margens às massas ociosas, que vivem com déficits trabalhistas, à possibilidade do ingresso nestas organizações,  cujas vulnerabilidades necessárias para o recrutamento, e fortalecimento das mesmas, estão disponíveis nos ociosos interessados.
Basta agora os países destas regiões se conscientizarem, e agirem o mais rápido possível, pois não sabemos ao certo, quais serão as atitudes tomadas por cada pessoa envolvida nesta crise, podem ser tanto atitudes certas, como erradas, neste cenário, as organizações criminosas se fortalecem no Brasil, e no mundo.

www.visaobrasil.tv

terça-feira, 20 de março de 2012

ARTIGO ENVIADO À REDAÇÃO DO OMP


SEGURANÇA
Uma palavra que sempre esta sendo pronunciada, não passamos uma semana sem ouvi-la em noticiários, o que seria, uma necessidade humana?
          Sim, buscamos segurança em todas as áreas da nossa vida, seja ela financeira, psicológica ou principalmente física, o que é um dever do Estado e obrigação de todos.
          Quando falamos de segurança, sempre significa impor regras e restringir a vontade de alguns para beneficio da coletividade, mas neste momento é que ouvimos que tudo está demais, um exagero, isto não vai acontecer, não temos histórico no local.
Fazemos seguro no automóvel depois de roubado?
          Quando o fato negativo ocorre as primeiras pessoas a serem apontadas como culpadas são os responsáveis pela segurança, mas já ouvi muitas vezes principalmente em eventos, aqui ninguém é ladrão, aqui só tem família, não quero um monte de gente ao meu lado e por ai vai.
          Mas quando o problema ocorre é que sentimos falta dos profissionais que ali deveriam estar, neste momento aparecem pessoas para criticar  mas não aparece aquele de disse, que não era necessário gastar com segurança.
          Segurança e Prevenção devem ser levadas a sério por todos, o perigo esta em todos os lugares e para impedir que ele aconteça devemos ouvir os profissionais de segurança, pois caso contrário continuaremos a ouvir que os responsáveis falharam.
          Segurança é prevenção, previna gerencie riscos  e volte ileso para casa.   
       
Adans Leal
GCM-SBC/GSP/tutor EAD-SENASP/professor de segurança patrimonial-escolar-operacional.

sexta-feira, 16 de março de 2012

PREVENÇÃO DE PERDAS

Prevenção de Perdas no Transporte de Materiais

É imprescindível planejar considerando o custo x benefício do modal, partindo do princípio que devemos entregar no tempo certo a quantidade solicitada.

O transporte de materiais é de suma importância para a economia global, independente do modal escolhido.
No Brasil o transporte de carga apresenta as seguintes participações modais: rodoviário, 61,1%; ferroviário, 20,7%; aquaviário, 13,6%; dutoviário, 4,2%; e aéreo, 0,4%. 
Cerca de 1,6 milhões de km de rodovias, federais, estaduais e municipais, mas apenas cerca de 212 mil km são pavimentadas, ou seja, pouco mais de 13% do total. Segundo a última pesquisa da Confederação Nacional do Transporte, 67% das rodovias pavimentadas brasileiras podem ser classificadas como deficientes, ruins ou péssimas. 
Assim é imprescindível planejar considerando o custo x benefício do modal, partindo do princípio que devemos entregar no tempo certo a quantidade solicitada. 
Segundo o estrategista chinês Sun Tzu (2006, p.53) “Nos planos de um chefe inteligente, as considerações sobre vantagens e desvantagens devem estar harmonizadas. Se a nossa expectativa de vantagens for mesclada dessa maneira, poderemos ter sucesso no cumprimento da parte essencial dos nossos planos”. 

Dessa forma listo algumas dicas e recomendações para a realização do check list com foco no modal rodoviário: 

1)     Definir o roteiro de viagem prevendo e estabelecendo os locais para abastecimento, refeições e eventuais pernoites (quando for o caso).
2)     Informar ao motorista e ajudante o horário de atendimento do recebedor dos materiais.
3)     O motorista deve possuir CNH compatível com o tipo de material a transportar e veículo a dirigir.
4)     Fornecer ao motorista e ajudante calçado de segurança e uniforme com logotipo da empresa e, se possível, com o nome do usuário.
5)     O motorista deve possuir os EPI’S recomendados pelo empregador e pelo recebedor.
6)     Fornecer ao motorista e ajudante crachá que contenha o nome completo, RG, CPF, foto e tipo sangüíneo, bem como os dados da empresa e número de telefones para os casos de emergência.
7)     A acomodação dos materiais no interior do veículo deve estar de acordo com o roteiro.
8)     Todos os materiais devem sempre ser acompanhados da respectiva DANFE - Documento auxiliar da nota fiscal eletrônica (NFE).
9)     Não permitir caronas ou a permanência e nem o transporte de crianças no veículo.
10)  Os tacógrafos devem ser auditados e à prova de fraude.
11)  Os pneus devem estar em bom estado de conservação e calibração adequada.
12)  O nível de óleo e validade deve ser verificado permanentemente.
13)  A quantidade de combustível deve atender o roteiro e prever reserva, afinal em tempos de chuva, é possível que tenhamos que refazer o roteiro por conta de queda de barreiras entre outros.
14)  O Triangulo de emergência deve estar inteiro e pronto para ser utilizado.
15)  O pneu estepe deve estar cheio e em bom estado de conservação.
16)  O Extintor deve estar dentro da validade de garantia, inspeção e ensaio hidrostático do cilindro.
17)  A parada para almoço deve ser realizada em locais conveniados, levando em consideração local para estacionar o veículo.
18)  Verificar junto ao recebedor as dimensões de acesso da portaria, muitas entradas são estreitas e incompatíveis com o tamanho do veículo.
19)  As placas de identificação do veículo precisam estar legíveis.
20)  Implantar um controle de fumaça preta.
21)  Definir se haverá escolta e, em caso positivo, se ela será velada, ostensiva, armada ou desarmada.
22)  Definir o sistema de comunicação entre a base, o veículo e a escolta (quando houver).
23)  Definir o sistema de rastreamento e bloqueio.
24)  Definir a utilização de botão de pânico fixo e móvel.
25)  Contratar seguro para a carga e veículo.
26)  Definir a instalação de câmeras na cabine e local da carga.
27)  Contratar gerenciadora de riscos. 

Observa-se que as recomendações são de prevenção e reação, exigindo um planejamento integrado de muitas áreas, tais como segurança patrimonial, fiscal, segurança do trabalho, manutenção, entre outras.

 Portanto, a integração das áreas dentro da cadeia como um todo, deve ser estimulada continuamente, assegurando por meio da prevenção de perdas o gerenciamento de riscos e a continuidade dos negócios. 
É óbvio que este artigo tem a finalidade de aguçar o planejador, contribuindo com o processo de melhoria contínua. 
Não podemos esquecer que um plano de gerenciamento de crises deve fazer parte da Prevenção de Perdas, bem como, o plano para atendimento de emergências e retorno das atividades.

SECURITY DINNER CONFERENCE

ESTRATÉGIA NACIONAL DE DEFESA DO BRASIL

quinta-feira, 15 de março de 2012

CURSO CTT CBC - OPERADOR DE FUZIL POLICIAL

TRANPORTES PÚBLICOS E CAOS EM SÃO PAULO

Panes no metrô e na CPTM afetam 195 mil
Publicado em 15/03/2012 - 3 comentários


Três falhas durante a manhã atrasaram composições e deixaram plataformas e estações lotadas
Três falhas nas linhas 1/Azul e 3/Vermelha do metrô e na linha 9/Esmeralda da CPTM afetaram ontem cerca de 195 mil pessoas.

Por causa dos problemas, trens circularam com velocidade reduzida, plataformas ficaram lotadas e algumas catracas tiveram de ser fechadas para evitar tumultos. Centenas de passageiros nem sequer conseguiam entrar em estações como Corinthians-Itaquera e Belém, formando filas enormes do lado de fora.

No metrô, 100 mil passageiros foram afetados na linha Vermelha e 65 mil na linha Azul. A falha na CPTM afetou outras 30 mil pessoas, segundo o "SPTV" - a linha 5/Lilás, que tem interligação com a CPTM, também trafegou com velocidade reduzida. Passageiros relataram à "Folha de S. Paulo" que levaram até duas horas e meia para realizar de trem um trajeto de uma hora.

Efeito dominó

O primeiro problema ocorreu por volta das 5h30 na CPTM, por causa de uma pane elétrica. Os trens da linha 9/Esmeralda circularam por uma única via, entre as estações Granja Julieta e Santo Amaro. A situação foi normalizada às 8h10, segundo a CPTM.

Enquanto a falha prejudicava os passageiros da CPTM e da linha Lilás, novos problemas ocorreram no metrô. Primeiro na linha Vermelha, às 6h46, quando houve uma falha no sistema pneumático em um trem na estação Pedro II. Durante 35 minutos, as composições do ramal circularam com velocidade reduzida e maior tempo de parada. O trem com problemas teve de ser esvaziado e retirado de circulação para manutenção.

Quase 20 minutos após a normalização dessa linha, houve um novo problema na linha Azul, às 7h39, na tração de um trem entre as estações Vila Mariana e Santa Cruz. Novamente, a composição foi retirada e, por 24 minutos, os trens circularam mais devagar e com com mais tempo de parada, segundo o Metrô.



Manhã na estação Sé do metrô: mesmo com catracas fechadas, plataformas da linha Vermelha lotaram
Diego Padgurschi/Folhapress
Fonte Jornal Destak

terça-feira, 13 de março de 2012

CURSOS CTTE - 2012



CURSOS CTTE 2012

Março
Gerenciamento de Crises e Negociação - - 31/03 e 01/04

ABRIL
APH - Atendimento Pré-Hospitalar Nível I  - 14, 15, 21 e 22

Operador de Pistola -  21

Curso de Técnicas Defensivas para aplicadores da Lei - 21 e 22

Curso de Inteligência Policial - 26 a 29

Gerenciamento de Crises e Negociação - 28 e 29 de Abril

MAIO
Proteção a autoridades - VIP - 09 a 13

                                                                          
            

Vinicius

CTTE - Centro de Treinamento de Técnicas e Táticas Especiais
Escritório: Av. Teresópolis, 3057. Poa/RS
Fones: 55 51 30289750 - 55 51 30289850 - 55 51 91136692
Nextel; 55 51 78125542 ID: 55*92*2623
Site:
www.ctte.com.br
E-mail: cursos@ctte.com.br 
                                          

VIOLÊNCIA NA CIDADE GRANDE

Edição do dia 13/03/2012

Estudo mostra que viver em cidade grande pode afetar saúde emocional

Pesquisa foi feita em 24 países. São Paulo foi a representante do Brasil. Três em dez habitantes apresentam algum transtorno mental.

Monalisa Perrone São Paulo
Durante uma madrugada, o segurança Carlos Fernandes de Carvalho acordou com a ameaça de bandidos que explodiram os caixas eletrônicos de uma agência. “Um estava com uma metralhadora e outro com duas pistolas, uma em cada mão. E a orientação deles era: ‘volta a dormir, fecha a janela’”, lembra.
A violência que acontece na porta de casa atinge até as crianças. Shirley de Souza, motorista de van escolar, que levava 13 crianças, foi parada por um ladrão em fuga. “O ladrão entrou na van e deixou o carro morrer várias vezes. Ele pedia pra ligar o carro, ficava batendo, xingando”, conta.
“As crianças ficaram sem reação, começaram a chorar, chamar os pais”, conta Débora Oliveira dos Santos, monitora da van.
Tanta violência causa muito mais do que traumas, causa transtornos psiquiátricos. É o que mostra um levantamento feito pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo com mais cinco mil moradores da região metropolitana da maior cidade do país.
Trinta por cento dos entrevistados foram considerados doentes emocionalmente e 10% apresentaram algum problema grave. Nesse caso, grave, significa incapacitação de praticamente tudo.
“Geralmente estes quadros levam a tratamento. Tem casos de gente que perdeu muitos dias de trabalho, mais de 50 por ano. Além da perda de produtividade, as pessoas também têm problemas de relações interpessoais, como familiares, amigos”, afirma Laura Andrade, coordenadora da pesquisa.
O estresse da rotina na grande cidade está mudando inclusive o nosso comportamento. Pela pesquisa, o transtorno explosivo intermitente, conhecido como ataque de raiva, era predominantemente masculino, mas agora atinge em cheio as mulheres.
Mas será que explodir resolve, alivia mesmo como a gente ouve por aí? “Tem um mito de que põe pra fora que é melhor do que ficar guardando. Não é verdade. Tem vários estudos mostrando que o explodir aumenta o risco cardiovascular”, alerta a coordenadora da pesquisa.
A pesquisa também mostrou que mais da metade dos entrevistados já presenciou ou foi vítima de um fato violento. e isso tem relação direta com as doenças emocionais.
Por isso é fundamental o diagnóstico e o tratamento corretos, o mais rápido possível.

sexta-feira, 9 de março de 2012

FALÊNCIA DO SISTEMA PENITENCIÁRIO BRASILEIRO

Política pública "mais consistente" para segurança é reivindicação em debate no Senado

Os secretários de segurança estaduais participantes da audiência alertaram para a falência do sistema penitenciário brasileiro.
  


O Senado começou a debater na manhã desta quinta-feira (8) com representantes do poder público, advogados e secretários estaduais de segurança pública, sugestões para a elaboração de um anteprojeto para o novo Código Penal, a cargo de uma comissão especial formada por juristas de diferentes áreas de atuação.
Logo no início da audiência, o presidente da Subcomissão Permanente de Segurança Pública da Casa, senador Pedro Taques (PDT-MT), procurou determinar o ponto de partida para o ordenamento da questão:
– Não basta focar na repressão e no aumento das penas. É preciso uma política pública consistente para a segurança – afirmou o parlamentar mato-grossense.
Ele também criticou o contingenciamento de recursos no Ministério da Justiça, “fato que contrasta com o discurso do governo federal de priorização da segurança”, como assinalou.
O relator da subcomissão, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), advertiu que, sem um novo Código Penal, “todo esforço [na área de segurança pública] terá poucas chances de ter sucesso”.
O senador afirmou que o código atual, elaborado em 1940, está ultrapassado “e sem a dinâmica de uma sociedade moderna”. Ele também ressaltou que a preocupação com a segurança pública aparece como questão prioritária em pesquisas de opinião pública realizadas em diferentes estados do país.

Prioridade
O presidente da Comissão de Constituição e Justiça, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) adiantou que o anteprojeto do Código Penal terá prioridade de tramitação na CCJ a fim de que, tão logo chegue ao colegiado, seja convertido em projeto de lei para ser debatido pelos parlamentares:
– Este é um compromisso desta presidência. Espero que até dezembro tenhamos realizado esse debate – previu o senador.
O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e presidente da comissão de juristas, Gilson Dipp, informou, durante a audiência, que pretende entregar o texto até maio, dentro do cronograma previsto.
– Estamos examinando mais de 130 leis extravagantes [leis penais que estão fora do Código], verificando quais os tipos que podem não integrar o novo Código Penal, afim de que não tenhamos tantas leis esparsas, que dificultam o trabalho da policia, do Ministério Público e do Judiciário. Trabalhamos para um código para o amanhã– afirmou.
O ministro mencionou uma série de temas polêmicos e importantes que estão sendo avaliados pela comissão, como progressão de regimes nos crimes contra a vida, eutanásia, ortotanásia, terrorismo, tráfico de pessoas, crimes cibernéticos e responsabilização de pessoas jurídicas.

Corrupção
Na fase de debates, diante da preocupação dos senadores com a corrupção, o ministro do STJ defendeu a tipificação do enriquecimento ilícito de funcionários públicos, mas mostrou-se contra a transformação da corrupção em crime hediondo.
– O aumento de penas por si só não resolveu o problema da impunidade no Brasil; por isso, particularmente, prefiro ter uma lei mais efetiva e que garanta a punição. É certo que não há corrupção sem o envolvimento direto ou indireto de um agente público, mas temos que nos preocupar também com os corruptores – afirmou.

Sistema prisional
Os secretários de segurança estaduais participantes da audiência alertaram para a falência do sistema penitenciário brasileiro que, segundo eles, não cumpre o papel de ressocialização e forma mais mão de obra para o crime.
O secretário de Segurança do Mato Grosso do Sul, Wantuir Jacini, lembrou que atualmente há mais de 500 mil presos em penitenciárias onde caberiam 200 mil. Muitos delessão provisórios ou considerados de baixo potencial ofensivo, que poderiam ser submetidos a penas alternativas, como observou.
– Estes presos de baixo potencial de ofensividade já saem do cárcere com nova profissão: viram soldados do tráfico ou do crime organizado. Isso porque o sistema não os separa daqueles que são realmente perigosos – opinou Jacini
Já o secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, advertiu para o alto índice de reincidência dos egressos do sistema penal, o que significa mais gastos de dinheiro público e mais trabalho para a polícia, para o Judiciário e para o Ministério Público.

‘Jogo do Bicho’
Beltrame ressaltou que “nada há mais de romântico ou inocente no jogo do bicho”, uma prática que, segundo afirmou, precisa ser combatida com rigor, diante da estreita ligação com outros crimes graves como tráfico de drogas e de armas e homicídios.
– O bicho deve deixar de ser mera contravenção para se tornar crime. O que acontece hoje é um achincalhe com a população carioca e fluminense e espero que não chegue, em outros estados, ao ponto que chegou no Rio de Janeiro – disse.
O secretário também pediu aos senadores e à comissão especial que tipifiquem a prática de milícia, a fim de que os estados tenham respaldo legislativo para dar uma resposta mais rápida à sociedade.

Anderson Vieira e Ricardo Koiti
Agência Senado

quinta-feira, 8 de março de 2012

DIA INTERNACIONAL DA MULHER 2012

A TODAS AS MULHERES
DESCONHEÇO O AUTOR MAS O TEXTO É ESPETACULAR, ALIÁS COMO SÃO TODAS AS MULHERES...



DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Sem maiores rodeios e em duas linhas podemos ressaltar o que representa para nós a “MULHER”:

“Se fossemos falar da sua importância, cairíamos sempre em redundância, pois simplesmente sem ela não existiria a vida”.

Porém, vamos recordar o que já foi escrito antes:
Se o universo é dito como infinito, o que há para se dizer do universo que há em uma mulher ?
Muito haveria a se dizer se em palavras fosse possível definir ‘mulher’. Poetas tentaram e continuarão sempre a tentar...
Musas, namoradas, mães, amigas, não importa o papel que representem, as mulheres são e sempre serão a força que move o mundo, quem dá origem e sentido à vida, a expressão maior da ternura. Um exemplo é capaz de dizer mais do que uma centena de palavras e o teu exemplo, mulher, é a prova  viva de que Deus realmente existe.
Mulher, criatura divina, sublime criação !
Mulher que afaga , que afoga aflições, que efetua mudanças no mundo, que afeta as leis da vida...
Mulher, o feto de tudo, o afeto em tudo, o destino, uma sina...
Mulher que cria, procria, seduz e reluz.
Parabéns pelo seu dia ! Parabéns por tudo o que você representa e obrigado por tudo o que você faz ! Parabéns mulher, você, que é tão indefinível quanto o amor e que de tão sagrada merece um título, o título de: “Mulher, definitivamente, Mulher”.

ENVIADA PELO AMIGO SR. ECIO DE ROSA

INVASÃO A CONDOMÍNIO DA VILA MADALENA

08/03/2012 09h51 - Atualizado em 08/03/2012 09h51

Quadrilha faz arrastão em prédio da Zona Oeste de SP

Pelo menos quatro apartamentos foram assaltados na Vila Madalena.
Grupo invadiu condomínio por muro lateral; um foi detido.

Da Agência Estado

Uma quadrilha formada por cerca de dez homens, armados de pistolas, revólveres e metralhadoras, invadiu um condomínio na Vila Madalena, na Zona Oeste de São Paulo, por volta das 2h30 desta quinta-feira (8). O Condomínio Residencial Buena Vista tem 17 andares e é localizado na Rua Rodésia. Pelo menos quatro apartamentos foram assaltados pelos criminosos, que agiram sem máscaras e fugiram levando pelo menos três carros.
Segundo uma das vítimas, o grupo invadiu o prédio pelo muro lateral de um depósito. O porteiro foi o primeiro a ser rendido no hall dos fundos. Moradores que chegavam ao prédio, de carro ou a pé, também eram rendidos.
Um dos veículos roubados de um dos moradores foi perseguido e parado por policiais militares que faziam uma blitz na região dos bares da Vila Madalena. Ao perceberem três carros passando em alta velocidade, os policiais começaram a perseguição e conseguiram parar um deles. Um criminoso foi preso. Com ele foram apreendidos um revólver e pertences roubados das vítimas.
O caso foi encaminhado para o 14º Distrito Policial, em Pinheiros, e transferido para o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

quarta-feira, 7 de março de 2012

CURSO CTT - CBC OPERADOR SUBMETRALHADORA

DESABASTECIMENTO DOS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS EM SP

07/03/2012 10h32 - Atualizado em 07/03/2012 10h42

Motorista encontra fila, preço alto e postos fechados ao abastecer em SP

Problemas são reflexo de paralisação de condutores de caminhões-tanque.
Veículos começaram a retomar distribuição na manhã desta quarta em SP.

Juliana Cardilli Do G1 SP
Posto na Marginal Pinheiros tinha filas nesta manhã (Foto: Juliana Cardilli/G1)
Posto na Marginal Pinheiros tinha filas nesta manhã (Foto: Juliana Cardilli/G1)
Encher o tanque do carro tornou-se uma tarefa difícil na manhã desta quarta-feira (7) na cidade de São Paulo. Com a paralisação de motoristas de caminhões-tanque que deixou os postos sem abastecimento desde segunda-feira (5), muitos postos da cidade estavam com as bombas vazias. Nos que ainda tinham combustível, era comum encontrar longas filas e preços mais altos. Para conseguir garantir sua locomoção, motoristas chegaram a passar por oito postos nesta manhã.
Foi o caso de José Dias Vasconcelos, que enfrentou 20 minutos de fila para abastecer seu carro em um posto da Marginal Pinheiros. “Vim da Zona Sul e não encontrei nenhum posto com combustível, todos estavam fechados. Passei por oito postos”, contou. O sindicato (Sindicam) informou na manhã desta quarta-feira (7) que acatou a decisão judicial que determina a volta ao trabalho dos motoristas. Entretanto a normalização do abastecimento ainda deve levar alguns dias, segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro).
O autônomo João da Mata chegou a dispensar postos que estavam abertos devido a filas. “Vim desde a Ponte João Dias e as filas estavam gigantes, ia perder mais de meia hora. Não tinha condição de parar. Rodo pouco, mas já estava ficando preocupado. Quando me dei conta precisava abastecer e já estava assim”, afirmou.

Daniele abasteceu o carro na terceira tentativa (Foto: Juliana Cardilli/G1)
Daniele abasteceu o carro na terceira tentativa
(Foto: Juliana Cardilli/G1)
No posto, que fica nas proximidades da Avenida dos Bandeirantes, a gasolina comum acabou por volta das 7h desta quarta e a aditivada deveria durar somente até o meio da manhã, segundo a previsão dos frentistas. O movimento era grande, e o preço mais alto – R$ 2,99 o litro da gasolina. O preço gerava reclamações de alguns motoristas, mas alguns, tão preocupados com a possibilidade de ficar com o tanque vazio, nem prestaram atenção no valor.
“Na verdade eu nem olhei o preço, quero colocar logo antes, estou enchendo o tanque. Passei em dois postos antes desse que estavam fechados”, disse a assistente de pesquisa clínica Daniele Cogo.
Em outro posto na via, nas proximidades da Ponte Cidade Universitária, ainda havia gasolina comum e etanol, mas a perspectiva dos funcionários era de que os estoques só durassem até o meio-dia, devido ao grande movimento. Nele, valor do litro da gasolina era de R$ 2,99. “Passei em outros três postos e só tinha etanol. Estava preocupada, abasteço o carro a cada três dias. Não sei como vai ser se continuar assim”, disse a consultora Leila Vanini.

Marginal Tietê tinha postos vazios nesta manhã (Foto: Juliana Cardilli/G1)
Marginal Tietê tinha postos vazios nesta manhã
(Foto: Juliana Cardilli/G1)
Postos vazios
Ainda na Marginal Pinheiros já havia postos que estavam vazios, sem combustíveis desde a tarde desta terça. O mesmo ocorria na Marginal Tietê – postos visitados pelo G1 nesta terça que ainda tinham combustíveis já estavam com as bombas vazias na manhã desta quarta. Em todos eles, cavaletes, caixas e correntes sinalizavam para os motoristas que as bombas estavam fechadas.
Nos que ainda tinham combustível a gasolina aditivada era a opção mais comum e salvação dos motoristas. “Esse é o sétimo posto que procuro. Vim desde a Brasilândia e todos estavam fechados. Eu estava na reserva, quase acabando, torcendo para achar. O duro é o preço, R$ 2,90 o litro, é um absurdo. Eu pagava R$ 2,59 antes”, disse o eletricista Fernando Augusto de Souza Antônio.
No posto em que ele parou nas proximidades da Vila Maria, a procura era grande, mas não chegava a gerar filas. Em um estabelecimento próximo, que ainda tinha todos os combustíveis nesta manhã, o frentista Eusébio Campelo contou que recebeu clientes de bairros distantes. “Vem gente de Pinheiros, do Centro, a procura está muito grande, e tem muito cliente reclamando. O que temos dá para segurar até esta noite”, contou.
A situação, entretanto, deve melhorar ao longo do dia. Por volta das 9h40, um caminhão-tanque chegou a um posto na Marginal Tietê, próximo à Ponte Júlio de Mesquita Neto, para fazer o abastecimento. Segundo o motorista Antonio Ires, os veículos começaram a deixar a base da Shell na Vila Carioca por volta das 9h, fim do horário de restrição. “Nos outros dias não dava para sair, saíram uns três caminhões para abastecer hospitais. Hoje não tinha mais o pessoal do sindicato lá, e o pessoal voltou a trabalhar”, contou o motorista. Ele iria descarregar toda sua carga no posto e volta para a base para encher o caminhão novamente e fazer mais entregas. O posto estava com as bombas vazias desde a noite desta terça.


Caminhão chegou a posto na Marginal Tietê por volta das 9h40 desta quarta (Foto: Juliana Cardilli/G1)
Caminhão chegou a posto na Marginal Tietê por volta das 9h40 desta quarta (Foto: Juliana Cardilli/G1)
Fiscalização
A Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP) apura 27 denúncias de aumento abusivo de preços de combustíveis na capital paulista. Segundo o Procon, as denúncias foram recebidas entre terça (6) e as 9h desta quarta-feira (7). Agentes de fiscalização da fundação visitam os postos para apurar possíveis irregularidades e autuá-los.
Dois internautas relataram ao VC no G1 postos que vendiam gasolina acima de R$ 4. Segundo a leitora Maria Helena Moreira dos Santos, o posto que costuma abastecer, na Zona Norte, a gasolina que era vendida a R$ 2,699 passou a custar R$ 4,499 nesta terça-feira. O internauta Sergio Ricardo Pereira dos Santos também encontrou um posto com a gasolina a R$ 4,499.

segunda-feira, 5 de março de 2012

ASSALTOS A CONDOMÍNIOS

EVITE ASSALTOS A CONDOMÍNIOS

Os condomínios fechados, locais onde as pessoas procuram mais segurança, privacidade e conforto, são alvos cada vez mais frequentes dos arrastões. Em São Paulo, bairros como Morumbi, Higienópolis e Campo Belo são alguns dos que mais sofrem com o problema.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Roubo a Condomínios da capital paulista, Mauro Fachini, os assaltantes sabem exatamente quais casas que tem joias e dinheiro e, por isso, muitas vezes, durante o arrastão nem todas as casas ou apartamentos do condomínio são assaltados, somente aqueles que são “lucro-certo”.

As quadrilhas agem normalmente em grupos grandes, de sete a dez pessoas; nos horários de pico (entre as 5h e 7h ou das 19h às 21h) ou nos finais de semana normais ou prolongados; e se passam por algum morador para entrar nos condomínios. 

"Um assaltante liga para o condomínio e se passa por morador. Ele avisa que chegará um carro de um parente ou visitante, e que a entrada deverá ser autorizada. Quando eles chegam, o porteiro libera, eles entram, e dentro do carro está o bando”, explica o delegado. 

Pensando nisso, o Portal da Band conversou com Niv Yossef Steimarn, gerente de projetos do grupo GR de segurança, para saber o quê moradores e empresas podem fazer para evitar assaltos. Veja as dicas:

Condomínios

O especialista explica que a segurança dos condomínios é baseada em três pontos principais:

Humano: presença de funcionários da empresa de segurança; treinamento dos funcionários do condomínio para que saibam como evitar a entrada de pessoas desconhecidas; treinamento dos condôminos para que aprendam a importância de cumprir os protocolos e para que consigam, junto com os outros, colaborarem com a segurança.

Físico: restringir acessos ao condomínio aumentando os muros, blindando as guaritas e criando a clausura (processo em que a entrada de pessoas no condomínio é feita por dois portões).

Eletrônico: Instalação de cercas elétricas, alarmes e monitoramento remoto.

Se algum desses itens falha, abre-se uma brecha para os assaltantes conseguirem entrar no condomínio e concretizar o assalto. Uma das alternativas para ajudar a inibir o crime é contratar empresas para segurança particular. O serviço não é tão barato, mas diminui as chances de o condomínio ser escolhido pelos assaltantes. Em média, a contratação de um posto de segurança 24 horas custa R$ 15 mil e precisa de quatro funcionários por dia.

Moradores precisam colaborar 

Niv Yossef Steimarn explica que o primeiro passo para tentar se prevenir de um assalto é evitar que os ladrões tenham informações privilegiadas. Isso quer dizer que quanto menos pessoas souberem o quanto de joias ou dinheiro você tem guardado em casa, melhor. Filhos, encarregadas da limpeza, amigos e visitantes não precisam saber da existência dos artefatos de valor que a família guarda. E sempre que for utilizar joias em um evento ou festa, coloque-as somente ao chegar ao local, não saia de casa com elas.

Não reaja a assaltos 

O delegado Mauro Fachini alerta: "se o seu condomínio estiver sendo assaltado, não reaja. Não olhe fixamente para o assaltante porque ele pode entender isso como uma intimidação. Se você perceber a ação dos ladrões antes de entrar no condomínio, acione a polícia”.
 
Fonte: Band

sexta-feira, 2 de março de 2012

CURSO DE EXTENSÃO EM SEGURANÇA - GRANDES EVENTOS

Polícia Federal  cria curso de extensão em segurança para grandes eventos

13/02/2012

Brasília/DF - A Polícia Federal está criando o Curso de Extensão em Segurança para Grandes Eventos, como forma de qualificar e especializar os vigilantes para atuação nos locais onde haja grande concentração de pessoas, principalmente nos estádios de futebol, a exemplo da Copa das Confederações de 2013 e Copa do Mundo de 2014, conforme modelo padrão da FIFA, que prevê a utilização de segurança privada nos eventos esportivos de forma integrada aos órgãos de segurança pública.
O currículo do curso foi amplamente discutido entre a Polícia Federal e as entidades de classe representativa dos trabalhadores e das empresas do segmento, com a participação da Secretaria Especial de Política de Promoção de Igualdade Racial da Presidência da República, tendo sido formatado em 50 horas-aula, e deve ser ministrado pelas empresas-escolas aos vigilantes que forem trabalhar em eventos com multidões, como ginásios esportivos, estádios de futebol, shows, feiras agropecuárias, etc.
O resultado dessa iniciativa traduz-se no fato de que, em breve, as empresas que prestam o serviço de vigilância patrimonial somente poderão empregar nesses eventos vigilantes que tenham concluído o referido curso, sob pena de serem autuadas ao pagamento de multa e de outras penalidades pela Polícia Federal, que é a responsável pelo controle da segurança privada no Brasil.
O curso de extensão, que é complementar ao curso de formação do vigilante, terá foco nas matérias de gerenciamento de público, gestão de multidões, enfocando o respeito aos direitos humanos e à promoção da igualdade racial, e visa dotar o profissional de conhecimentos, técnicas, habilidades e atitudes que o capacitem para o exercício da atividade de segurança das pessoas e do patrimônio nos recintos onde forem realizados grandes eventos, adotando medidas preventivas e repressivas nos limites de suas tarefas no âmbito operacional da estrutura de segurança, numa função complementar às atividades dos órgãos estatais de segurança e serviços, sem prejuízo das competências que são específicos dessas forças, com o fim de prover a segurança de todos os envolvidos no evento, assegurando um ambiente confortável, seguro e de perfeita normalidade e harmonia para os organizadores e espectadores.
A formatação dos novos cursos passará a ser exigida pela Polícia Federal às empresas de segurança privada e aos próprios vigilantes, com a publicação da alteração da Portaria nº 387/2006 - DG/DPF, que trará também outras modificações visando o aperfeiçoamento do controle e da própria atividade de vigilância patrimonial, incluída à realizada em instituições financeiras, bem como escolta armada, transporte de valores e segurança pessoal, com regras mais eficazes e adequadas ao contexto atual.
Segundo dados da Coordenação-Geral de Controle da Segurança Privada da Polícia Federal -CGCSP, atualmente há cerca de 600 mil vigilantes trabalhando regularmente na atividade de segurança privada, mediante contrato de trabalho com empresas especializadas e orgânicas, no universo de aproximadamente 2 milhões de pessoas que concluíram o curso de formação de vigilantes e que estão cadastradas na PF.



Comunicação Social da PF em Brasília
Tel.: (61) 2024-7685
© Copyright Polícia Federal - PF