sexta-feira, 31 de agosto de 2012

INDICAÇÃO DE FILME - MERCENÁRIOS 2


quinta-feira, 30 de agosto de 2012

PARTICIPE DO DIA DA PREVENÇÃO DE ACIDENTES COM CRIANÇAS


ONG CRIANÇA SEGURA CONVOCA PARA O DIA DA PREVENÇÃO DE ACIDENTES COM CRIANÇAS


ONG CRIANÇA SEGURA convoca instituições para o Dia da Prevenção de Acidentes com Crianças

Objetivo da campanha é combater a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil

Vem aí mais um Dia da Prevenção de Acidentes com Crianças, data instituída pela ONG CRIANÇA SEGURA para gerar alerta e ampliar a discussão sobre este tema tão importante. Os acidentes representam a principal causa de morte de crianças e adolescentes de 1 a 14 anos no Brasil. Pelo segundo ano consecutivo, a CRIANÇA SEGURA está convocando parceiros e instituições de todo o País a aderirem à campanha e unir esforços em benefício da causa. O Dia da Prevenção de Acidentes com Crianças será lembrado no dia 30 de agosto.
O principal objetivo da campanha é que instituições organizem-se para desenvolver ações ligadas à prevenção de acidentes com crianças promovendo uma maior conscientização sobre o tema em suas comunidades. Todos podem participar: ONGs, escolas, universidades, órgãos públicos ou privados, parceiros ou não da CRIANÇA SEGURA. A ação pode ser um ato público na comunidade, uma atividade com alunos, um ensaio fotográfico sobre o tema, uma peça de teatro ou um documento direcionado ao prefeito da cidade por exemplo.
Em 2009, a data foi lembrada por instituições de 10 cidades brasileiras por meio de palestras, materiais informativos, apresentações em locais públicos ou unidades de saúde e escolas.
Algumas iniciativas destaques serão registradas no site da CRIANÇA SEGURA e na nova plataforma de relacionamento da organização: http://crianca-segura.ning.com/. Os participantes poderão compartilhar suas ações enviando um resumo de uma página no máximo para o e-mailcomunicacao@criancasegura.org.br com as informações: descrição do evento, número e perfil do público participante, resultados, fotos e etc. Mas todos os participantes poderão registrar suas atividades nesta mesma plataforma na sessão Depoimentos.
A importância desta causa – Segundo DATASUS/Ministério da Saúde, em 2007 (dados mais atuais), 5.324 crianças de até 14 anos morreram vítimas de acidentes. A maior parte destes acidentes aconteceu no trânsito (2.134 mortes), seguido de afogamentos (1.382), sufocações (701), queimaduras (337), quedas (254), intoxicações (105), acidentes com armas de fogo (52) e outros (359). No caso das hospitalizações por acidentes, foram 136.329 no total, a maior parte delas por quedas (73.455 internações), posteriormente, acidentes de trânsito (15.194), queimaduras (15.392), intoxicações (5.013), acidentes com arma de fogo (551), sufocações (548), afogamentos (528) e outros (25.648). O acidente é uma séria questão de saúde pública que pode ser solucionada em 90% dos casos com ações de prevenção como a disseminação de informações sobre o tema, mudança de comportamento, políticas públicas que assegurem infra-estrutura e ambientes seguros para o lazer, legislação e fiscalização adequada.
A CRIANÇA SEGURA
A Criança Segura é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público dedicada à promoção da prevenção de acidentes com crianças entre 0 e 14 anos. A organização atua no Brasil desde 2001 e faz parte da rede internacional Safe Kids Worldwide, fundada em 1987, nos Estados Unidos, pelo cirurgião pediatra Martin Eichelberger.
Para cumprir sua missão, desenvolve ações de Políticas Públicas – incentivo à discussão sobre o tema e participação nos diálogos referentes às mudanças e adaptações de instrumentos legais que visem a segurança, saúde e bem-estar da criança; Comunicação – informação e alerta sobre a causa para conscientização da sociedade por meio de campanhas e divulgação de assuntos de interesse público e Mobilização – promoção da sensibilização, conscientização e engajamento de muitas e diferentes pessoas visando à multiplicação da informação, a transformação do meio e a adoção de comportamentos seguros.

DIA NACIONAL DA PREVENÇÃO DE ACIDENTES COM CRIANÇAS


terça-feira, 21 de agosto de 2012

CARTÃO DE VISITA DO CONSULTOR ULISSES NASCIMENTO,CES


ONDE MORA O PERIGO PROJETO SAIBA +


ABSEG - ALMOÇO DOS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA


SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS FORENSES - RIO DE JANEIRO 2012


LUTEMOS SEMPRE CONTRA AS DIVERSAS FORMAS DE INJUSTIÇA


PENSAMOS , VIVEMOS E RESPIRAMOS SEGURANÇA EM NOSSO DIA A DIA


segunda-feira, 20 de agosto de 2012

POLÍTICAS E NORMAS PARA A SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO - EDISON FONTES


AÇÃO HUMANITÁRIA - TRABALHANDO JUNTOS PARA SALVAR VIDAS !

Caros amigos , bom dia.

Estamos iniciando uma nova fase do nosso Programa Onde Mora o Perigo e como vocês leram e assistiram nas postagens anteriores, ontem foi o " Dia Internacional de Ação Humanitária/Trabalho Humanitário ". Um dos maiores riscos globais é o de desastres e catástrofes e infelizmente todos os anos vemos que os desastres e tragédias  acontecem, principalmente em épocas de chuvas, e elas em breve estarão aqui no Brasil ! .Segue o texto que publiquei no início do ano no Facebook e que infelizmente  não tive nenhuma resposta, será que alguém se interessa em trabalhar firme para salvar vidas humanas?

Prof. Ulisses Nascimento,CES
Milhares de seres humanos morrem de fome, doenças/pestes e frio no mundo inteiro e inclusive no Brasil.Enquanto militar da reserva do Exército Brasileiro e profissional de Segurança e conhecedor das inúmeras Entidades de Segurança Pública e Privada deste país, vejo que temos que ter uma posição. As ações de voluntariado e humanitárias devem estar em nossas agendas, quantas pessoas neste momento estão precisando de nossa proteção, de nossas especialidades, de nosso talento? Vamos nos unir em uma entidade de caráter Nacional, congregando todas as entidades e seus membros ,e criar uma Task Force inovadora, Segurança Solidária? Segurança Humanitária? Tempo Resposta? Segurança Responde? Security Angels? Community? Vamos discutir o tema? Todos os companheiros da ativa e da reserva, todos os engenheiros e técnicos de segurança, todos os bombeiros, todos das forças armadas, enfim todos temos que agir, professores, assistentes sociais, motoristas, pesquisadores etc . Temos a violência, o crime, a morte, os desastres , as catástrofes todos os dias em nossas rotinas ...Somos Especialistas, somos profissionais ? Então vamos responder com Ações...
Enviem seus comentários , clicando em comentários neste Blog do Programa Onde mora o Perigo.

Link para conhecer melhor o assunto DEFESA CIVIL NO BRASIL e saiba mais sobre a organização e comando da DEFESA CIVIL EM SEU ESTADO.

http://www.defesacivil.gov.br/sindec/superior.asp 

A Redação


sábado, 18 de agosto de 2012

BLOG DO PROGRAMA ONDE MORA O PERIGO CHEGA A 40 MIL VISITAS


Caros amigos, 
Blog é uma rica maneira de mostrar que você é uma pessoa interessante e interessada em algum assunto. Blog é uma fantástica maneira de mostrar que você é um especialista em alguma coisa e tem opinião própria. Blog é uma verdadeira maneira de mostrar aos seus clientes, funcionários e amigos que você não tem nada a esconder, pelo contrário, você está cheio de boas idéias para compartilhar.
Queremos agradecer nesta data especial, o fato de chegarmos a 40 mil page views no Blog do Especialista em Segurança Ulisses Nascimento.
Obrigado !



quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Crianças & Mídia - Campanha da Rede Globo contra o bullying

CORRIDA DUQUE DE CAXIAS 2012


ROUBO EM CONDOMÍNIO NA VILA OLÍMPIA

Ladrões invadem e roubam condomínio na Vila Olímpia

Agência Estado


Cinco assaltantes armados invadiram e roubaram, nesta terça-feira, seis apartamentos de um prédio residencial na Rua Doutor Andrade Pertence, no bairro da Vila Olímpia, bairro nobre da zona oeste de São Paulo. Os proprietários dos apartamentos, segundo informou a polícia, foram amarrados e um deles teve de ser encaminhado para atendimento médico após ter sido agredido pelos ladrões com coronhadas. A polícia foi chamada, mas os bandidos conseguiram fugir levando pertences dos moradores além de dinheiro. A ocorrência foi registrada no 96º Distrito Policial.

No último dia 4, nove homens armados invadiram, durante a madrugada, um prédio comercial na Rua Haddock Lobo, nos Jardins. Os ladrões também conseguiram escapar. A investigação está a cargo da 2ª Delegacia da Divisão Investigações sobre Crimes Contra o Patrimônio, do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic) da Polícia Civil.

No primeiro semestre deste ano, a região do 78º DP, que cobre todo o Jardim Paulista, já registrou 587 roubos, o que dá uma média de pouco mais de três por dia. Esse número é 31,9% maior do total de casos no mesmo período de 2011. Na mesma comparação, o número de roubos na capital aumentou 7,7%.

Em 23 de julho, assaltantes fizeram um arrastão em um prédio residencial na Rua Bela Cintra, paralela à Haddock Lobo. A ação durou três horas e 20 moradores foram feitos reféns em um dos apartamentos. Quatro suspeitos foram presos.

O delegado Mauro Fachini, titular da Delegacia de Investigações sobre Furtos e Roubos a Condomínios, alertou, à época, para o que classificou de uma mudança no perfil do assaltante que comete esse tipo de crime. Atualmente, não são quadrilhas especializadas que fazem arrastões, mas pessoas que já praticavam outros delitos e passam a agir em diferentes grupos com o objetivo de assaltar condomínios. Por isso, o alvo dos bandidos não são apenas condomínios de luxo.
Em 5 de fevereiro, o Edifício Blue Tower, no Jabaquara, zona sul da capital, foi invadido por 11 homens. Ao todo, 40 salas comerciais foram invadidas distribuídas por seis andares. O cofre foi arrombado, de onde os ladrões levaram pouco mais de R$ 14 mil, além de U$ 2,5 mil. Ninguém foi preso.

Fonte: Diario do Grande ABC (www.dgabc.com.br)

terça-feira, 14 de agosto de 2012

SEGURANÇA PARA A COPA DO MUNDO DE 2014


14/08/2012 - 15:32
SEGURANÇA PARA A COPA APRESENTARÁ ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS E TECNOLOGIAS PARA ESTADOS
2º Encontro com Secretários de Segurança Pública e Defesa Social ocorre nesta quarta-feira (15.08), em Brasília
A Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge) do Ministério da Justiça promove, nesta quarta-feira (15.08),  o 2º Encontro com Secretários de Segurança Pública e Defesa Social dos estados sede da Copa do Mundo 2014. No evento, que será realizado em Brasília, será apresentado o detalhamento técnico de equipamentos e tecnologias que serão adquiridos pela Sesge para os megaeventos esportivos que o país receberá nos próximos anos.
Aparelhos que integrarão os Centros de Comando e Controle (regionais e móveis), dispositivos de imageamento aéreo e plataformas de observação estão entre as soluções tecnológicas. O Brasil vai instalar uma rede de comando e controle em segurança pública. Serão implantados 14 centros - dois nacionais e 12 nas cidades-sede - conectados entre si para dar suporte tecnológico e de telecomunicações à integração das forças policiais para a Copa do Mundo. E será um dos legados na área de segurança.
A rede vai viabilizar respostas rápidas e ações articuladas entre os comandos das instituições representadas (polícias, corporações de bombeiros, defesa civil e outras) às ocorrências de segurança pública ou relacionadas. Por meio dos centros de comando e controle regionais, as autoridades estaduais acompanharão, sob a supervisão da Sesge, eventuais situações críticas e terão como responder com rapidez e de forma articulada. Já os dois centros nacionais permitirão realizar um completo monitoramento das ações, operações e estruturas de segurança (regionais e nacionais) e promover ações coordenadas.
O primeiro encontro foi realizado no Rio de Janeiro, em 3 de julho deste ano, quando foi apresentado aos secretários estaduais o plano estratégico de segurança para a Copa.
Histórico
A Sesge foi criada em agosto de 2011 com o objetivo de integrar as forças policiais no país, criar padrões de atendimento e treinamento e deixar um legado na área de segurança, tanto do ponto de vista tecnológico, como de infraestrutura e capacitação dos profissionais.
Além da integração das polícias dos estados com as Polícias Federal e Rodoviária Federal e com a Força Nacional de Segurança Pública, é missão da Secretaria Extraordinária promover a interação com as polícias estrangeiras, como a Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol). Esse processo de articulação envolve ainda outros órgãos federais, estaduais e municipais, como Anvisa, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e concessionárias de energia.
II Encontro com Secretários de Segurança Pública dos Estados-sede da Copa de 2014
Quando: quarta-feira (15.08), às 10h
Onde: Ministério da Justiça (Esplanada dos Ministérios, Bloco T, Edifício Sede, 4º Andar, Sala de Retratos)

RADAR DE NEGÓCIOS - CONSULTORIA DE NEGÓCIOS EM SEGURANÇA


Quero entrar no seu RADAR DE NEGÓCIOS 2012... Safety & Security Brasil


Somos uma Consultoria Especializada, com foco em negócios de Segurança Corporativa. 
Estamos no mercado há um ano, prestando serviço de qualidade e confiabilidade em fábrica de Baterias em Capivari , Condomínios Residenciais Verticais e Horizontais e Empresas de Segurança Privada e Serviços  em São Paulo e região. 
Nossos Consultores são rigorosamente selecionados e estão aptos para atuar em Gestão de Segurança, Análise de Riscos – ISO 31000/31010 , Projetos Integrados de Segurança e no treinamento e desenvolvimento de pessoal especializado. 
Havendo a possibilidade de contato teremos um grande prazer em realizarmos uma parceria de sucesso, possibilitando bons orçamentos, e valores especiais para cursos in company, proporcionando à sua empresa e a seus colaboradores condições especiais. 
Na certeza de lhe oferecermos o melhor Projeto Integrado de Segurança em Safety e Security , para solucionar os problemas e otimizar seu departamento nos colocamos a sua inteira disposição através dos telefones, (11) 3533 2568 e (11) 8834 9838 ou e-mail conseg83@yahoo.com.br com Ulisses Nascimento. 

PS Temos parceiros que assessoram seu RH em Segurança do Trabalho ( CIPA,Brigadas de Incêndio,PPRA,PCMSO,PPP ) , Blindagens automotivas e arquitetônicas, Sistemas Eletrônicos de Proteção, VSPP, etc.

Atenciosamente, 

Ulisses Nascimento, CEO 



ESTATUTO DA SEGURANÇA PRIVADA


O Estatuto da Segurança Privada

30 de julho de 2012 | 3h 07
O Estado de S.Paulo
A combinação da inépcia policial com o aumento da violência converteu as atividades de segurança e vigilância privadas no Brasil numa das mais rentáveis do setor de serviços, movimentando R$ 32 bilhões por ano. Esse montante não inclui o segmento de segurança eletrônica, que fornece câmeras, alarmes e controles de acesso, tendo movimentado sozinho R$ 3,6 bilhões em 2011.
Tendo os bancos, shopping centers, lojas de departamento, empresas de transporte de valores e eventos esportivos como os principais clientes, a área de segurança privada cresceu tanto, na última década, que hoje há mais vigilantes privados do que agentes policiais em todo o País. Pelas estatísticas oficiais, as 2 mil empresas de vigilância cadastradas no Ministério da Justiça empregam 600 mil profissionais, enquanto a Polícia Federal (PF) e as polícias estaduais têm um contingente de 500 mil agentes. Para funcionar, as empresas precisam de um alvará concedido pela Polícia Federal, que é renovado anualmente. Os vigilantes não podem ter antecedentes criminais, são formados em cursos autorizados pela PF, precisam passar por uma reciclagem a cada dois anos e não detêm o porte das armas, que pertencem às empresas.
Todavia, como existem centenas de empresas de pequeno e de médio portes não cadastradas, que são mantidas de forma irregular por delegados de polícia e por oficiais da Polícia Militar, o número de pessoas armadas atuando informalmente como vigilantes privados, sem treinamento e controle, pode chegar a 2 milhões, segundo as estimativas dos técnicos da Secretaria Nacional de Segurança Pública e da Secretaria de Assuntos Legislativos, vinculadas ao Ministério da Justiça. "É um exército clandestino de pessoas armadas. Em alguns lugares, chega ao extremo de virar milícias", diz o presidente da Confederação Nacional dos Vigilantes, José Boaventura Santos.
Como os jogos da Copa do Mundo e da Olimpíada vão exigir enorme aparato de segurança pública e privada, o governo passou a se preocupar com os problemas causados pela explosão do número de empresas clandestinas de vigilância e anunciará, nas próximas semanas, a minuta de uma nova legislação para o setor. A legislação vigente foi editada em 1983 e é considerada defasada pelo Ministério da Justiça. O projeto do Estatuto da Segurança Privada está sob responsabilidade do secretário de Assuntos Legislativos, Marivaldo Pereira, que já ouviu entidades empresariais, autoridades da área de segurança pública e especialistas em direito penal e já encaminhou as linhas gerais de sua proposta para o Ministério da Justiça e para a Casa Civil.
Pelas diretrizes já definidas, o governo pretende fixar parâmetros para as empresas de sistemas eletrônicos de segurança, que atuam como verdadeiras centrais de inteligência, detendo informações confidenciais de seus clientes, e não estão sujeitas a nenhum tipo de fiscalização. Existem 18 mil empresas atuando nesse segmento, segundo estimativas do Ministério da Justiça. Outra medida prevista é a responsabilização criminal de quem oferecer e explorar serviços de vigilância e segurança de forma clandestina - a legislação em vigor pune o vigilante, mas não o empregador.
Além de modernizar o currículo dos cursos para vigilantes privados autorizados pela Polícia Federal, o anteprojeto aumenta o capital mínimo para a constituição de empresas de segurança e vigilância, que hoje é de R$ 100 mil. "Atualmente, qualquer um pode montar uma empresa de segurança. Com a elevação de capital, haveria um fundo para ser usado em caso de necessidade, aumentando as garantias trabalhistas", afirma o presidente da Associação Brasileira das Empresas de Vigilância, José Jacobson. A entidade apoia essa proposta, que favorece as grandes empresas do setor, e defende a criação de um Sistema Nacional de Segurança Privada, com a participação do poder público e de entidades empresariais.
A elaboração do Estatuto da Segurança Privada é uma iniciativa importante do governo. Mas, como envolve interesses conflitantes, seu alcance e sua consistência técnica só poderão ser efetivamente avaliados quando a Secretaria de Assuntos Legislativos divulgar o projeto na íntegra.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

IMOBILIDADE URBANA


A TRAGÉDIA SE REPETE NOS ESTADOS UNIDOS

EUA: atirador abre fogo em universidade no Texas e mata duas pessoas

A tragédia se repete. Em menos de um mês, três ataques envolvendo atiradores em locais públicos acontecem no país








O tiroteio que ocorreu no início da tarde desta segunda-feira, dia 13, na universidade Texas A&M na cidade de College Station, no Texas, nos Estados Unidos, matou ao menos duas pessoas e deixou dezenas de feridos.  Segundo a polícia local, o ataque foi realizado por um homem que também ficou ferido.
As autoridades policiais de College Station informam que o homem, que foi detido, começou a atirar da janela de uma casa próxima ao campus.
No seu site, a universidade recomenda que alunos e moradores evitem a região.
Tragédia repetida
O ataque é o terceiro parecido em menos de um mês nos Estados Unidos. No último dia 5, um homem atirou em fiéis durante um culto dentro de templo da religião Sikh em Milwaukee, no Estado de Wisconsin, matando seis pessoas e ferindo outras 30. O criminoso foi morto pela polícia no local.
Pouco mais de duas semanas antes, no dia 20 de julho, o estudante de medicina James Holmes matou 12 pessoas e feriu outras 58 em um cinema na cidade de Aurora, no Estado do Colorado. Holmes está preso acusado de 142 crimes.
FONTE REVISTA BRASILEIROS

OPERAÇÃO DE SEGURANÇA EM LONDRES 2012


A operação inédita de segurança de Londres

Uma das cidades mais vigiadas do mundo quer garantir a segurança e a tranquilidade de fãs e atletas durante os Jogos Olímpicos, que ocorrem entre julho e agosto deste ano. Especialista em ações antiterrorismo, professor britânico fala sobre o esquema que deve ser levado para Rio 2016
por Melissa Becker | Ilustração: Cristiano Siqueira
 Editora Globo
As estratégias de segurança das Olimpíadas são secretas, mas o britânico Pete Fussey, Ph.D. em Criminologia e professor da Universidade de Essex, na Inglaterra, identifica e avalia em seu trabalho as medidas adotadas em megaeventos anteriores. Desde o ataque terrorista em Munique (1976), a defesa é um dos principais pontos do planejamento dos jogos. Para Londres, a ameaça deu sinais um dia após seu anúncio como cidade-sede, em julho de 2005, quando o ataque de 4 homens-bombas matou 52 pessoas. Especialista e coautor de livros sobre o assunto, Fussey comenta o que poderá ser feito em Londres em 2012 ou servir de ideia para o Rio de Janeiro, em 2016. 

* Como preparar uma cidade para os Jogos Olímpicos? 
Pete Fussey: Há duas considerações principais. Uma é a segurança que já existe no lugar, e Londres já tinha infraestruturas bem avançadas – como as câmeras de segurança pública que lhe garantem a fama de uma das cidades mais vigiadas do mundo. A segunda é que as Olimpíadas são algo completamente sem precedentes. Não se compara ao nosso carnaval em Notting Hill, o maior da Europa, ou ao Campeonato Inglês de Futebol – é outra coisa. Nessa situação, os organizadores devem seguir o Comitê Olímpico Internacional (COI), outros órgãos internacionais e cidades olímpicas anteriores, e administrar um evento dessa magnitude. 

* Mas essa é a combinação perfeita para as Olimpíadas? 
Fussey: Nunca é perfeito. É complexo em muitos níveis, porque abordagens padrão de segurança não se encaixam em todos os lugares da mesma forma. Houve pânico em relação ao terrorismo islâmico em Londres. Já o Brasil tem outras questões de lei e ordem: existem conflitos com populações locais e controvérsias sobre quanto de policiamento e segurança serão postos. Há disputas por todos os lados, em diferentes níveis, entre a polícia e entre o público. 

* Londres tem anos de experiência em combate ao terrorismo, desde os ataques do IRA (Exército Republicano Irlandês), e uma infraestrutura como câmeras e o ring of steel (zona com monitoramento e restrição de acesso), certo? 
Fussey: Sim, mas a área do parque olímpico de Londres não era muito usada. Muito do expertise de contraterrorismo foi empregado no centro, em pontos turísticos e onde o governo se localiza. E o primeiro lugar no Reino Unido a usar análise de vídeo foi o leste de Londres. Um exemplo é uma câmera apontada para a plataforma do metrô e um software que alerta se algo fora do normal acontece após a partida do trem – se uma pessoa ficou ou se uma bolsa foi deixada. 

* Apesar dessa estrutura, o terrorismo é considerado uma das principais ameaças. É possível Londres ser mais preparada do que já é?
Fussey: Não se pode preparar para tudo, é impossível. Então, tem que se eleger prioridades. Há mais foco na ordem pública, em deixar a cidade preparada, desde os distúrbios de agosto de 2011 (saques e incêndios em diversos pontos, que começaram após uma manifestação pedindo esclarecimentos sobre a morte de Mark Duggan, morto pela polícia). No Reino Unido, temos uma boa tradição no trabalho multiagências, mas ainda há problemas com comunicação. Em Olimpíadas anteriores, quando houve falhas de segurança, foi geralmente isso que deu errado. As pessoas não trabalharam juntas ou sistemas de comunicação falharam. Outra questão é não proteger apenas contra o terrorismo. O COI sempre diz que deve ser um evento esportivo, antes de um evento de segurança. Há uma tensão aí: não proteger tanto a ponto de afetar as liberdades civis. 

* Com quantos agentes de segurança se faz uma Olimpíada? 
Fussey: Os números variam. É difícil apontar com exatidão, porque em alguns casos é polícia olímpica, em outros são policiais normais com funções adicionais. Já houve até 100 mil, em Pequim 2008 e Moscou 1980, em regimes totalitários. Para Londres, dizem dezenas de milhares. Quando o número requerido de agentes de segurança privada era de cerca de 7 mil, um diretor do setor me disse que seria impossível recrutar tantas pessoas, que conseguiria entre 1 mil e 2 mil. Depois dos distúrbios, disseram que seriam necessários entre 23 mil e 24 mil agentes. Como você vai treinar tantas pessoas? Acredito que a solução será ter até 13 mil guardas da segurança privada, e o restante de militares e voluntários. Mas o quão treinados serão? [Após a entrevista, a coordenação de policiamento das Olimpíadas divulgou que haverá 12 mil oficiais nos principais dias dos jogos no país – 9 mil em Londres]. 

* Seu livro aponta crime local e uso de táticas terroristas por criminosos como as principais ameaças no Rio. O que o Brasil deve fazer? 
Fussey: O que funciona para Londres não necessariamente funcionará para o Brasil. Crimes tomam formas diferentes, comunidades são organizadas de maneiras diferentes. Existem experiências em sediar eventos como o Carnaval e shows em Copacabana, mas é difícil dizer como a polícia deve proteger as Olimpíadas. Um dos temas de Londres que podem ser transferidos é o uso de abordagens já testadas, e não novas tecnologias. Duas semanas de Olimpíadas não é hora de testar se algo funciona. Os jogos têm sido cada vez mais dentro da cidade, com questões de legado e regeneração de áreas. Estratégias de segurança têm um impacto maior na população local do que tinham antes. Assim, práticas de segurança devem refletir as necessidades da comunidade também depois das Olimpíadas. 


OLIMPÍADAS COMO ALVO | Grande concentração de pessoas, espaços abertos acessíveis e cobertura da mídia: tudo o que os terroristas querem.
MUNIQUE 1972: Integrantes da organização palestina Setembro Negro sequestraram e mataram 11 atletas israelenses, em ataque à Vila Olímpica.

SEUL 1988: Em novembro de 1987, avião da Korean Airlines explodiu no ar matando 115. A ação teria sido provocada por agentes norte-coreanos.

BARCELONA 1992: Grupos terroristas praticaram ações ao longo do ano. O ETA atacou o fornecimento de energia para a abertura dos jogos, por exemplo.

ATLANTA 1996: Uma bomba matou um e feriu 110 no Centennial Park. O autor, Eric Rudolph, praticava ataques em nome de sua posição antiaborto.

APOSTAS PARA LONDRES 2012 | Estratégias de segurança são secretas. Para Pete, as pessoas têm fé demais na tecnologia. "Às vezes, ela piora a situação, diz". Mas o especialista tem algumas apostas sobre o que será usado durante os jogos deste ano:
BILHETE IDENTIFICADO POR RÁDIO FREQUÊNCIA > Entrada para jogos combinada com passagem de transporte público. Ao passar o bilhete pelos leitores, ficaria registrado por onde o usuário passou antes de chegar ao local dos jogos. Funciona, mas o bilhete não revela quem é o usuário. Muitas pessoas compram os ingressos para amigos e parentes. Pode ser usado em Londres.

CÂMERA COM RECONHECIMENTO DE FACES > Foi testado pela primeira vez em 1997 em Stratford, no leste de Londres, além de grandes eventos esportivos nos EUA. Foi um fracasso. Para a câmera reconhecer um rosto, as condições climáticas devem ser perfeitas, e a cabeça deve estar no ângulo previsto. A tecnologia não seria tão desenvolvida como a indústria diz. Mesmo assim, há possibilidade de ser usado em Londres de forma secreta.

VEICULO AÉREO NÃO TRIPULADO > É como um aeromodelo com câmeras para sobrevoar áreas com grandes concentrações de pessoas. Já foi usado em partes da Inglaterra, mas há controvérsia sobre ao seu regulamento no país. A polícia de Liverpool, em 2010, teve de pousar seu mini-helicóptero que estava atuando sem autorização do órgão de aviação civil britânico. Muito provavelmente será usado.

RECONHECIMENTO DE PLACAS > Implementado em Londres após ataques do IRA nos anos 90, hoje identifica carros com seguro ou tributos atrasados. Nas Olimpíadas, seria adotado para identificar veículos suspeitos. Porém, com o sistema ligado ao banco de dados de impostos de veículos, a atenção da policia pode ser direcionada a crimes menores.
FONTE REVISTA GALILEU

EQUIPES DE RESGATE PROCURAM SOBREVIVENTES NO IRÃ


Equipes de resgate procuram sobreviventes de terremotos no Irã

BRASÍLIA - Equipes de resgate chegaram à Região Nordeste do Irã, afetada por dois fortes terremotos no sábado, e buscam sobreviventes entre...

Agência Brasil
BRASÍLIA - Equipes de resgate chegaram à Região Nordeste do Irã, afetada por dois fortes terremotos no sábado, e buscam sobreviventes entre os escombros. Pelo menos 250 pessoas morreram e mais de 2 mil estariam feridas. Milhares passaram a noite em abrigos de emergência ou ao relento.
Depois dos dois terremotos de ontem já ocorreram 55 tremores mais fracos na região.O primeiro terremoto, de magnitude 6,4, atingiu a cidade de Ahar, na região de Tabriz, às 16h53 no horário local (8h23 de Brasília) e de acordo com as autoridades locais os esforços de resgate foram dificultados com o início da noite.
Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), o tremor foi seguido de uma réplica de magnitude 6,3, apenas 11 minutos depois. Pelo menos 66 equipes de resgate foram enviadas para a região junto com cerca de 200 ambulâncias e cinco helicópteros.
Imagens do canal de televisão estatal iraniano mostram muitos corpos no chão de um necrotério na cidade de Ahar. Quando amanheceu, os cães farejadores começaram a trabalhar com as equipes de resgate em Tabriz.
O gabinete do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, divulgou uma declaração oficial em seu website dando os pêsames a todos os que estão na zona de desastre e pedindo que as autoridades "mobilizem todos os esforços para ajudar a população afetada."
Uma autoridade da província atingida pediu que a população permaneça fora de casa devido ao risco dos tremores secundários. "Minha família está muito assustada. É noite, mas não conseguimos dormir. Este terremoto foi (...) muito forte e violento", disse à BBC Amina Zia, que mora em Tabriz.
O correspondente da BBC em Teerã, Mohsen Asgari, informou que centenas de pessoas foram resgatadas durante a noite, mas os tremores que continuaram pela madrugada de domingo dificultaram ainda mais o trabalho das equipes. Asgari afirma ainda que o número de vítimas deve aumentar e as agências de ajuda estão entregando barracas, cobertores, alimento e água para os sobreviventes.
O Crescente Vermelho do Irã assumiu o controle de um estádio de esportes para abrigar os que perderam suas casas nos terremotos ou todos os que estiverem com medo de voltar para suas residências. A estimativa da organização é que 16 mil pessoas foram para o estádio.
O Crescente Vermelho da Turquia informou que está enviando carregamentos de suprimentos para a fronteira entre os dois países. A maioria das mortes relatadas nos dois tremores de sábado ocorreu em áreas rurais, de acordo com as autoridades locais, uma indicação da baixa qualidade das casas fora das áreas urbanas no Irã.
As linhas telefônicas de muitos vilarejos da região foram cortadas e as equipes de resgate estão tendo que trabalhar apenas com rádios.
"O terremoto criou um pânico enorme entre as pessoas. Todos correram para as ruas e as sirenes de ambulâncias eram ouvidas por todos os lados", um morador de Tabriz disse à BBC.
As cidades de Haris e Varzaqan, na província do Azerbaijão do Leste, estão entre as que contabilizam até o momento o maior número de mortes, disse Khalil Saei, chefe do comitê local de crise, em entrevista à TV estatal iraniana.
O vice-ministro do Interior iraniano, Hassan Ghadami, disse à agência de notícias oficial do Irã, a Fars, que cerca de 110 vilarejos foram danificados. A televisão estatal do país informou que pelo menos seis vilarejos foram totalmente destruídos e outros 60 sofreram danos que atingem entre 50% e 80% de sua área. Moradores do local informaram que 33 dos 414 habitantes foram mortos nos tremores.
O Irã está localizado sobre uma grande falha geológica, que aumenta as possibilidades de terremotos no país. Em 2003, um terremoto na cidade de Bam deixou mais de 25 mil mortos.

CTT BRASIL - CALENDÁRIO 2012


CTT-CBC SÃO PAULO /CURSO INSTRUTOR DE ARMAMENTO E TIRO


sábado, 11 de agosto de 2012

Força Pública do Estado de São Paulo (1966)

SAIBA COMO PROTEGER RESIDÊNCIA DE ROUBOS

Veja dicas de segurança para contratar

Confira o que observar na hora de admitir um empregado para a sua casa
Carta de recomendação e indicação de pessoas podem ajudar na hora de escolher um empregado / Todd Castor / shutterstockCarta de recomendação e indicação de pessoas podem ajudar na hora de escolher um empregadoTodd Castor / shutterstock






Contratar empregados para trabalhar dentro de casa não é uma tarefa fácil, especialmente com o aumento da violência dentro das residências.

Segundo o vice-presidente do Sesvesp (Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado de São Paulo), João Eliezer Palhuca, a melhor dica é fazer duas ou mais entrevistas com candidatos. “É interessante que seja feito um processo seletivo para escolher a pessoa, com alguns testes. Também é importante pedir a referência dos últimos três empregos e telefonar para o antigo chefe e descobrir o motivo da saída, qual o seu comportamento. Deve-se fazer o máximo de perguntas para que se possa conhecer o candidato”, falou.

Outro fator importante é exigir do empregado o atestado de antecedentes criminais. “Esse documento é legal e vai indicar se a pessoa possui alguma pendência jurídica ou criminal com a Justiça, como, por exemplo, furto ou roubo. Se o resultado for negativo, a pessoa não deve nada. Isso já é um passo a mais para ela ser contratada”, explicou Palhuca.

O coordenador de segurança da empresa Potencial Serviços, André Luz Vilardi, ainda indicou que a pessoa deve exigir que o empregado vá até o local pessoalmente ao invés de retirar o atestado pela internet. “Existem muitos programas no computador que podem falsificar esse documento, caso a pessoa queria esconder algo.”

Qualquer pessoa física pode retirar esse documento em delegacias ou no Poupatempo, caso a região possua uma unidade.

Para reforçar, o vice-presidente do Sesvesp indicou: “o atestado não é o mais importante, pois brigas dentro do trabalho ou mau comportamento na empresa antiga não constam nele. Isso você descobre apenas com a carta de recomendação e com uma entrevista muito bem-feita”.

Vilardi deu ainda outro conselho: conhecer o bairro onde o empregado mora. “É bom falar com vizinhos, saber como a pessoa é conhecida e qual seu comportamento com as pessoas. O empregado nem precisa saber que foi feita a visita. Sem esquecer que a indicação de pessoas de confiança vale muito”, finalizou.

DIA DO ADVOGADO 11 DE AGOSTO