segunda-feira, 24 de setembro de 2012

INVASÃO EM EMPRESA DE SEGURANÇA PRIVADA DA ZONA OESTE

Bando dominou funcionários e invadiu prédio no Butantã, zona oeste de São Paulo. Ladrões levaram 543 cartuchos e 15 coletes à prova de balas

Três homens armados invadiram na manhã de ontem uma empresa de segurança privada na zona oeste de São Paulo, fizeram dois funcionários reféns e roubaram 44 revólveres calibre 38, 17 espingardas calibre 12, 15 coletes à prova de balas e cinco rádios, além de 543 cartuchos de munições. O trio fugiu antes da chegada da polícia e, até as 20 horas de ontem, não havia sido preso.
De acordo com informações da Secretaria de Estado da Segurança Pública, o bando aguardou a troca de plantão dos vigias para agir. O funcionário que chegava para trabalhar, às 7h20, foi rendido no caminho da Quality Inteligência Ltda., que fica na região do Butantã. Depois, foi obrigado a abrir o portão de ferro da garagem, para que os bandidos pudessem entrar com um Fiat Fiorino branco.
O segundo funcionário estava dentro da empresa. Eles informaram à polícia que os dois tiveram de mostrar onde as armas eram guardadas e ajudar os criminosos a carregá-las para o carro. Antes de sair, os ladrões ainda destruíram a sala de monitoramento de vídeo da empresa.
Após o roubo, os funcionários tiveram de entrar no carro e deixar o local com os bandidos. Minutos depois, a dupla foi abandonada próxima de uma padaria na cidade de Carapicuíba, na Grande São Paulo. Segundo a polícia, nenhum deles ficou ferido durante a ação.
O caso será investigado pelo 51.º DP (Butantã). Ontem à noite, nenhum dos três assaltantes havia sido identificado. Também não há informações sobre o veículo - os funcionários não conseguiram gravar a placa.
De acordo com o site da Quality, a especialidade da firma é monitoramento a distância, com imagens de segurança transmitidas via internet. Nos fins de semana, apenas um funcionário faz plantão na empresa. O vigia que chegava às 7h20 iria render o colega quando foi abordado.
Câmera. A Quality Inteligência Ltda. funciona em um sobrado nas proximidades da Avenida Corifeu de Azevedo Marques. No muro, há uma câmera de segurança que não estaria funcionando no momento da ação. Ontem, policiais civis afirmaram que o sistema de vigilância será investigado. A reportagem entrou em contato com a empresa, que não quis comentar o roubo.

Para lembrar: Exército teve fuzis levados

Há três anos, uma quadrilha invadiu o Centro Tático de Treinamento (CTT; foto), que integra a Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC), em Ribeirão Pires, no ABC, e roubou 22 fuzis e 89 pistolas, além de milhares de cartuchos usados como munição. Na época, o prejuízo passou de R$ 200 mil.
Oito meses após o roubo, parte do arsenal foi encontrada no Rio. O bando responsável pelo crime teria negociado a ação, como encomenda.
O caso não foi o único de 2009. Três dias depois do roubo ao CTT, ladrões atacaram uma área de segurança, em busca de fuzis de alta potência. O alvo foi o 6.º Batalhão de Infantaria Leve de Caçapava, no interior paulista.
Desde então, há reforço em bases de treinamento que têm armamento pesado. E, agora, são as empresas de segurança que viraram alvo. Há cerca de um ano, três assaltantes levaram cerca de cem armas, coletes e munições da empresa de segurança Internacional Security, também localizada na região do Butantã, zona oeste de São Paulo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário